• Vídeo Novo

  • Quem nunca ficou na ansiedade de comprar a agenda mais legal da papelaria para o próximo ano? Bom, eu sempre fui dessas que gostava de escolher pela capa e decorar ela antes mesmo do ano começar. Com os anos se passando, a agenda se torna uma utilidade diferente para nós, seja para se planejar, organizar provas e trabalhos da faculdade ou até mesmo tarefas no trabalho. Ainda bem que existem muitas papelarias incríveis inovando sempre nas capas e o melhor, é possível comprar todas pela internet. Demais, né? Quem diria haha. Hoje eu trouxe um top 5 agendas de 2018 para você já ir se planejando desde já, vem conferir!

    1- Agenda Jardim Secreto – Papel Craft
    2- Agenda Gato da Sorte – CatClub
    3- Agenda Muito Amor – UATT
    4- Agenda Capricho – Papelaria Queiroz
    5- Agenda Floral – Saraiva

    Há uma variedade enorme de estampas, formas, tamanhos e cores no mercado, se encaixando em todos os gostos. Eu resolvi trazer algumas bem diferentes e lindas para vocês se inspirarem e já irem pensando na sua. Pra quem gosta de gatinhos, a número 2 é super fofa, assim como as florais e inspiradas em jardins como a número 1 e número 5. Vale lembrar que essas lojas que citei acima têm varias outras opções de estampas e modelos, pra quem se interessar em pesquisar por diferentes, pode entrar nos sites e se deliciar em agendas!

    E aí, o que acharam do top 5 de hoje?

    Manter a casa organizada pode ser bem complicado, principalmente para quem mora sozinho. E se você fica meio perdido na hora de deixar tudo em ordem no seu lar, hoje o Seven List trouxe para o Cabide Colorido 7 dicas simples para manter a casa sempre organizada.

    Quem nunca chegou em casa e se perguntou: “como é que eu deixei as coisas chegarem a esse ponto?”. Roupas e sapatos espalhados pela casa toda, louças e talheres perdidos no escorredor, maquiagens espalhadas no banheiro e tudo, mas TUDO mesmo, fora do lugar. Isso acontece nas melhores casas, não se desespere. Porém se você não aguenta mais viver na bagunça ou simplesmente curte deixar seu cantinho sempre arrumado, aí vai uma lista ótima com dicas simples para te ajudar:

    E se você que mora sozinho se interessou pela lista acima, com certeza essa outra lista pode te ajudar muito também, principalmente se você gosta de viajar: 7 coisas que toda pessoa que mora sozinha precisa fazer antes de ir viajar.

    Fique ligado: estamos aqui no Cabide Colorido todas as quartas-feiras, trazendo infográficos super legais com conteúdos bem bacanas. E se você quer ficar por dentro de todas as novidades que rolam por aqui, não se esqueça de seguir o Cabide Colorido nas redes sociais e claro, aproveite também para conhecer mais sobre o Seven List. Até quarta que vem!

    Eu amoooo lasanha, mas depois de ter me tornado vegana eu não achei que teria graça comer ela sem todo aquele queijo que a gente já conhece. Me surpreendi depois de fazer essa receita que, além de leve, é também muito gostosa! Confere aí:

    Ingredientes:

    1 berinjela grande
    4 tomates médios
    2 colheres de azeite
    2 dentes de alho
    1 pitada de sal
    1 xícara de castanha de caju
    2 colheres de sopa de amido de milho
    1 xícara de agua
    temperos, sal e pimenta

    Modo de Preparo:

    A berinjela será a base da nossa lasanha, e além dela, teremos dois molhos: de tomate e molho branco. Comece deixando as castanhas de caju de molho em 1 xícara de água enquanto você prepara o molho de tomate.  Em um liquidificador adicione os tomates, pitada de sal, azeite e os dois dentes de alho, triture tudo até ficar homogêneo, reserve. Com a jarra do liquidificador limpa, vamos começar agora o molho branco. Coloque as castanhas hidratadas + água, o amido de milho, e os temperos que você preferir (usei sal, alho em pó e orégano). Bata tudo bem até ficar homogêneo e leve essa mistura para uma panela com fogo baixo. Mexa até engrossar e desligue o fogo.

    Hora da montagem! Corte a berinjela em tiras finas e monte a lasanha em um refratário de vidro. Primeira camara: molho de tomate, seguido pela berinjela e depois molho branco, repita esse processo até terminar. Por cima polvilhe farinha de linhaça dourara e algumas castanhas que sobraram da receita. Eu cortei elas para formar uma farofa de castanha. Bom apetite!

    Espero que tenha gostado da receita, para ver mais detalhes confira o vídeo:

    Um beijo!

    Alô pessoas, como vão vocês? Por aqui tudo certo, sabemos que com o início de um mês, há várias novidades envolvidas como lançamentos de filmes incríveis e muito esperados, até uma descoberta de uma série feminista na Netflix. Gosto sempre de trazer assuntos variados para compartilhar com vocês, e nada melhor do que muitas e muitas dicas sobre viagem, morar sozinha e até passos simples para fazer do seu dia melhor. Vem conferir tudo e prepara os cliques!

    1- Cinco ilhas e arquipélagos incríveis para conhecer na América do Sul

    2- Vinte e seis pequenas coisas que você pode fazer se está se sentindo pra baixo

    3- Para não perder: Filmes que vão lançar em Novembro

    4- Juana Inês, a série “escondida” da Netflix sobre a “primeira feminista da América” que você precisa ver

    5- Morando sozinha, as dicas definitivas pra quem quer realizar esse sonho

    E aí, o que acharam dos assuntos dessa semana?

    Foi a primeira vez que eu acampei fora do estado. Também foi a primeira vez que eu acampei no frio, mas isso eu conto mais pra frente. A única cidade que eu conhecia do Paraná era Curitiba, passei três dias lá esse ano (vem ver o que eu fiz por lá clicando aqui) e era só isso. Mas aí, uma grande amiga chamada Bell me convidou para desbravar Ponta Grossa, e eu pensei “por que não?“. O combinado era sair as 3:00, sim, madrugamos e fomos muito pontuais. Exatamente 3:00 estávamos a caminho da famigerada, da desconhecida, da incrível: Ponta Grossa.

    Bell e Adri, companheiras dessa aventura

    De Blumenau até lá são longas seis horas, mas que passadas em boa companhia se transformam em ~quase~ minutos e as 9:00 já estávamos chegando na cidade, a estrada até lá é muito bonita.

    Fomos direto para o buraco do padre, ele faz parte do Parque Nacional dos Campos Gerais (que descobri que é gigante!). Para entrar no Parque o ingresso é R$16 e esse ingresso te da direito de passar o dia inteiro lá, ele tem uma infraestrutura muito boa.

    Nós fomos com um grupo que faz trilhas, o Anunnaki Trilhando, e eles contrataram um guia para mostrar tudo o que o parque tinha para oferecer, todas as trilhas etc, o grupo não é uma empresa. Eles são amantes da natureza e curtem desfruta-la com consciência e atentos a sua preservação.

    Grupo Anunnaki Trilhando

    Apesar de irmos com esses grandes aventureiros, eu e o Bruno optamos por não fazer as trilhas porque eu tenho um problema nas costas e tenho medo de fazer grandes esforços, então eles seguiram “viagem” e nós ficamos na entrada do parque. Na entrada do parque você encontra um super gramado, banquinhos e banheiros. Também existe uma lanchonete e quiosques para churrascos.

    Como a nossa última refeição tinha sido de madrugada, estendemos a toalha e fizemos um picnic. Levamos de casa sanduíches prontos, chá, frutas e amendoim. Após recarregar as energias fomos em busca do Buraco do Padre (o legítimo!), o buraco foi batizado assim por causa dos padres jesuítas que utilizavam o local para meditar. Lá existe uma cascata de 30 metros de altura, que desce em um buraco.

    Para chegar lá, você pega 1km de trilha, bem tranquila, bem guiada. Essa trilha passou por uma reforma recentemente e hoje o acesso também é feito para cadeirantes.

    Trilha para o Buraco do Padre

    Mini cachoeira no meio da trilha

    Após 20 minutos de trilha, a surpresa.

    Eu havia visto fotos antes de ir, mas a sensação de estar lá é indescritível. Acredito que morar na cidade faz a gente esquecer de como a natureza é perfeita, de como ela é imensa e de como ela é única. Conforme eu fui entrando na caverna, meu coração foi acelerando e a emoção tomou conta. Eu tenho 1.85 mas naquele momento me senti pequeninha. Era eu, o barulho da água caindo e os pássaros em um lindo canto. Fechei os olhos, e agradeci. Sério. As fotos não conseguem mostrar 20% do que é aquilo.

    Depois de contemplar a natureza, fomos conhecer a Fenda da Freira. Mas isso conto semana que vem! Alguém já foi para lá?