• Vídeo Novo

  • Sexta feira dia 17/03 foi dia de St. Patrick’s day. É um feriado Irlandês, mas em todo o mundo algumas pessoas se vestem de verde e saem para comemorar (se você quiser saber mais sobre esse feriado e a importância dele para o povo Irlandês, clica aqui). Nos Estados Unidos é uma festa bem grande, vários lugares ficam decorados, até mesmo os bares que não são Irlandeses. A festa geralmente começa cedo e fica todo mundo bebendo cerveja verde até cair. Os americanos, assim como na Irlanda, fazem até um desfile com carros decorados e pessoas dançando. Pelo que me lembro tem comemoração o final de semana todo, e não só no dia 17.

    Em Chicago por exemplo, os caras pintam o rio que corta a cidade com uma tinta não-tóxica verde e a cidade fica assim:

    Aqui na Holanda eu tive uma experiência bem diferente. Eu estava esperando mais, já que a Holanda é bem mais perto da Irlanda, mas não. Ninguém nem estava falando sobre isso, não teve decoração em lugar nenhum. Eu nem fiz questão de me vestir de verde porque eu vi que ninguém estava dando a mínima. Eu e minhas amigas fomos para um bar Irlandês que ficava em uma rua com vários outros bares. E só o Irlandês estava decorado! Os outros eram como se fosse um dia normal. Eu até ouvi uma mulher perguntando para outra o por quê das decorações verdes, e aí a outra falou que era St. Patricks day. Como assim você não sabe? Até eu sei! No bar foi legal, a cerveja não era verde, mas era boa! hahaha

    Então eu acho que não existe St. Patricks melhor que o da Irlanda assim como não existe carnaval melhor que o do Brasil. Cheers!

    Continuando meus posts mineiros, depois de Ouro Preto, e antes de Inhotim, passei por Mariana.

    Saímos cedinho de Ouro Preto de trem para chegarmos à cidade de Mariana uma hora depois. O trem é estilo maria fumaça, sabe? Uma gracinha. A vista da janela do trem é maravilhosa, sempre mostrando muita natureza. Aproveitei para tirar uma sonequinha porque a viagem estava bem cansativa, então sempre que a gente tinha oportunidade rolava uma soneca da amizade para aguentar a energia.

    Chegando a Mariana já fomos recebidos com a arquitetura linda e maravilhosamente histórica, assim como Ouro Preto, a cidade também tinham casinhas maravilhosas. Mariana é conhecida por suas minas de ouro, e lá a economia local depende principalmente do turismo e da extração de minérios. A cidade foi a primeira vila, cidade e capital do estado de Minas Gerais e na sua origem lá no século VXII foi uma das maiores produtos de ouro para o Império Português.

    Andamos, e andamos por lá, vimos praças, igrejas e monumentos. E após o almoço, tiramos um tempo para uma descansadinha na praça (ou melhor, eu tirei hahaha – veja a imagem abaixo) e depois fomos para uma das minas existentes de lá, chamada Mina da Passagem.

    A Mina da Passagem é a maior mina de ouro aberta a visitação. A descida para as galerias subterrâneas se faz de um modo muito legal, através de um trolley (que parece um mini carrinho de montanha russa, e você meio que se sente um dos sete anões entrando para trabalhar), que chega a 315m de extensão e 120m de profundidade. O cenário do interior da é fantástico, foi uma experiência incrível, o passeio é todo guiado e explicado a cada passo.  E pasmem, desde a sua fundação no início do século XVIII, foram retiradas aproximadamente 35 toneladas de ouro. Mas não achei nenhum perdido por lá.

    A mina é um dos passeios que eu mais gostei da minha viagem mineira, ouvir histórias locais é sempre bom né?

    Um beijo e boa quinta.

    As pessoas sempre me perguntam se o meu intercâmbio de Au Pair me ajudou profissionalmente quando eu voltei pro Brasil, e a minha resposta é: AJUDOU MUITO!

    Quando eu voltei pro Brasil, fui logo atualizar meu currículo com todos os cursos que fiz nos EUA, e com a minha experiência de intercâmbio. “Mas Michelle, pode colocar experiência de intercâmbio no currículo”? Não só pode, como deve! E nem é o fato de eu ter trocado umas 700 fraldas durante os meus 18 meses por lá,  e sim por ter vivido em outro país, melhorado meu inglês, convivido com uma família americana de cultura totalmente diferente da minha e ter mostrado ao mundo, e principalmente à mim mesma, que eu sou capaz!

    No primeiro mês de volta ao Brasil eu já consegui um trabalho, e posso dizer que a vaga estava bem concorrida.  Mas depois de ser contratada a minha chefe disse que o meu maior diferencial era a minha experiência na gringa. Então, pra que você consiga mostrar que a sua experiência morando lá fora valeu a pena, hoje eu trouxe 3 passos para destacar o seu intercâmbio no currículo! 

    1. Identifique o campo mais adequado para inserir a experiência: Pode parecer uma dica óbvia, mas essa é uma das principais dúvidas dos intercambistas: Onde inserir essa informação sem prejudicar a estética do currículo ou exagerar? A resposta é simples. Se você viajou para estudar, inclua o curso realizado no campo de formação. Se foi trabalhar, invista no campo de experiências profissionais, e assim por diante. O grande diferencial é apresentar uma breve descrição do tópico utilizado para agregar mais valor ao currículo. Por exemplo, quando indicar os idiomas que possui fluência é interessante destacar a vivência no exterior e a imersão naquela cultura e língua. Se o seu intercâmbio incluiu estudo e trabalho você pode criar uma subdivisão de vivência internacional. Nessa nova categoria descreva a experiência contando em detalhes o período que ficou fora, para onde viajou, o que estudou, quais trabalhos realizou durante o intercâmbio, etc.

    2. Invista no campo de habilidades pessoais: Outra forma de usar o intercâmbio a seu favor é adicionando no documento um tópico para habilidades pessoais. Escolha, no máximo, cinco das suas melhores qualidades e insira ao seu lado um breve exemplo de como ela contribuiu para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Para fortalecer sua vivência internacional, priorize habilidades que você consiga encaixar situações ocorridas durante a viagem e que poderá utilizar durante o seu trabalho em equipe. Assim, poderá instigar o entrevistador a perguntar mais sobre sua experiência durante a entrevista.

    3. Tenha Contatos e referências Internacionais: Pode parecer irrelevante, mas muitos recrutadores ainda valorizam a indicação de referências no currículo. Sendo assim, você pode aproveitar essa oportunidade para indicar pessoas de fora do país como contato. Ao citar professores e até empregadores internacionais você poderá demonstrar ao recrutador que utilizou seu tempo na gringa também para se desenvolver profissionalmente e criar uma rede de networking.

    Curtiu as dicas? Espero que sim, e espero que te ajude aí na hora de arrumar o currículo quando voltar do intercâmbio!

    Um beijo, amo vocês!

    Quando você pensa na minha cidade, Blumenau, o que te vem a cabeça? Talvez nada, porque talvez você não conheça, ou muito provável que venha as palavras: chopp, oktoberfest, tradição alemã e só.

    QUE NADA! Blumenau é muito mais que a nossa querida Vila Germânica que traz milhares de turistas todos os anos, ela também é cercada de lugares incríveis como a Nova Rússia!

    Com a ajudinha do Wikipédia eu fiquei sabendo que a Nova Russia faz parte do Parque Nacional da Serra do Itajaí, com 88 km² de área total, o que significa 16% da cidade de Blumenau! A região foi colonizada por imigrantes alemães e prussianos que tentavam viver de caça e da agricultura de subsistência no local. Com o passar dos anos, poucas famílias resistiram na região e este fator foi positivo para garantir a conservação de muitas áreas naturais existentes no local, que possui a maior área de Mata Atlântica contínua do Vale do Itajaí, a quinta maior do estado, além de possuir a maior bacia hídrica do município.

    Eu, a Bruna e o nosso amigo Ricardo fomos dar um rolê por lá, gravar um vlog pra vocês e fazer um voo com o drone. Espero que vocês curtam as imagens do vídeo abaixo, e se vierem pra Blumenau não deixem de conhecer esse espaço incrível e natural ! A prefeitura de Blumenau mantém um site com todas as informações sobre a Nova Russia e lugares que você pode visitar quando for pra lá. Clica aqui. 

    Espero que gostem!

    Amo vocês <3

    No ano passado eu viajei com vocês para Santiago do Chile. Foram 5 dias incríveis de viagem com a agência Trielotur. Conheci pessoas que eu não fazia ideia que me acompanhavam e fiquei bem feliz pelas novas amizades, sorrisos e lugares visitados. Se você não viu os vlog da viagem, clica aqui porque ficaram lindos <3.

    Gostei tanto que esse ano teremos uma outra viagem, dessa vez pra capital charmosa da Argentina: Buenos Aires!

    Acima você confere o que vamos fazer em cada um dos dias da viagem e também o valor total do pacote. A saída do grupo acontecerá em Guarulhos, ou seja, eu e você que não mora em SP precisaremos comprar uma passagem até lá. Fora isso, a passagem de ida e volta, seguro viagem, hotel com café e jantar incluso e van para nos levar por todos os pontos turísticos, estão inclusos no pacote! E não, não precisa de passaporte ou visto para visitar a Argentina, fique tranquila!

    Você pode pagar em até  10 vezes, e saber sobre todos os detalhes com a agência Trielotur. Tá?
    E-MAIL: trielotur@trielotur.com.br  –  TEL: (11)  5085 0101

    Contando pra vocês como foi a experiência do ano passado, o pacote da viagem custava R$3.600,00 e o pessoal achou bem tranquilo, eu também. Além disso, eu e a Bruna levamos juntas somente R$1.500,00, para serem gastos durante 5 dias, e acreditem: SOBROU. Ao viajar com a gente, você precisará só pagar o seu almoço (que pode ser lanchinhos comprados no supermercado), e os presentes e souvenirs que você tiver afim de comprar. Incrível né?

    Então pois bem, espero vocês viu?

    Não deixa de enviar um e-mail para a Trielotur mostrando o teu interesse pela viagem e convide quantas pessoas você quiser! trielotur@trielotur.com.br  

    Um beijo, amo vocês!