• Vídeo Novo

  • No primeiro vídeo sobre vocabulário eu falei um pouco sobre as gírias em inglês, perguntei pra vocês o que vocês gostariam de ver no próximo e hoje trouxe: Vocabulário KIDS and BABIES!

    Várias palavrinhas e expressões eu só aprendi estando aqui, convivendo com os hosts e perguntando pras kids como fala tal coisa, o que é tal coisa, e assim vai..

    Maaaaaaas, quero facilitar a vida de vocês e aqui estou! Vamos às palavrinhas:

    4785407-seamless-doodle-background-happy-kids-go-back-to-school

    Baby: Bebê
    Newborn: Recém – Nascido
    Toddler: Criança que está começando a andar
    Crib: Berço
    Bottle: Mamadeira
    Pacifier: Bico
    Mobile: Aquele brinquedo em cima do berço que roda e faz barulho hehe.
    Highchair: Cadeira alta de criança.
    Bib: Babador
    Blocks: Blocos de brincar, montar, empilhar
    Baby Food: Papinha de neném (comida pronta na maioria das vezes)
    Rattle: Chocalho
    Stroller: Carrinho de bebê
    Wipes: Lenço umidecido
    Bathtub: Banheira
    Shower: Chuveiro
    Towels: Toalhas
    Rubber Duckies: Patinho amarelo da banheira
    Baby Powder: Talco
    Formula: Leite em pó que neném toma quando é pequeno
    Diapers: Fraldas
    Potty: Penico / vaso sanitário
    Tissues: Lenço de assoar o nariz
    Blanket: Cobertor
    Kid: Criança
    Child: Criança
    Children: Crianças
    Teenager: Adolescente
    Curfew: Hora de voltar pra casa
    Timeout: Castigo
    Toys: Brinquedos
    Kite: Pipa
    Drum: Tambor
    Rocket: Foguete
    Scooter: Patinete
    Trampoline: Cama Elástica
    Swing: Balanço
    Slide: Escorregador
    See-saw: Gangorra
    Sand Box: Caixa de areia
    Merry-go-round: Roda-roda
    Puppets: Teatro
    Snack: Lanchinho da tarde ou manhã
    Spooky: Assustador
    Choo-Choo: Trem
    Boo-boo: Machucado
    Tippy Toe: Andar na pontinha do pé
    Ring Around The Rosie: Ciranda-cirandinha
    Duck Duck Goose: Pata choca
    Hide and Seek: Esconde-Esconde
    Pink Promise: Jura juradinho
    Nap: Cochilo
    Bunny: Coelhinho
    Puppy: Cachorrinho
    Tootsie: Dedinhos do pé
    Tummy: Estômago
    Belly buttom: Umbigo
    Goffy: Engraçadinho / Pateta
    Weenie: Voz da criança quando está fazendo
    Silly: Engraçadinho / mesmo que “Funny”
    Naughty: Desobediente
    Picky: Fresco / Exigente
    Teeny weeny: Muito pequeno
    Super duper: Muito grande, ou muito legal.
    Playdate: Hora específica para encontrar amigos e brincar.
    Ops-a-daisy: É tipo “oops fiz algo errado”.
    Mind your manners: “Seja obediente”, “olha as suas maneiras rapazinho”.
    Nighty Nighty: Boa Noite de um jeito fofinho!

    As crianças colocam “Y” no final das palavras quando querem ser fofas, como por exemplo: Kissy para beijinho, Huggy para abracinho, birdy para pequeno pássado, blanky para cobertorzinho…

    Chegamos ao quarto e último assunto do especial Minha Vida Como Au Pair! Se vocês gostarem de que a gente responda alguma pergunta em específico ou fale sobre algum tema, deixa nos comentários!

    O assunto de hoje é: Por que o Au Pair ? Como foi se adaptar nos EUA ? E na real, qual é o seu propósito aqui ?

    minha-vida-como-au-pair-schedule-cabide-colorido-perfil

    1. Por que Escolheu o Au Pair ?

    Hellen: “Escohi o programa de Au pair porque foi o jeito mais fácil e barato que achei para ir morar fora do Brasil. E também achei a idéia de ter uma renda, por mais que seja pequena, já valeria a pena. Porque gerealmente nos outros programas tu não pode trabalhar e fazer um curso de alguns meses aqui nos EUA (ou em outros países) é super caro e eu já tinha um mochilão todo programado para a Europa”.

    Larissa: “Vi no Au Pair o programa de intercâmbio mais completo e acessível. Nele posso aprender sobre uma nova cultura, trabalhar, estudar e viajar por um preço bem mais em conta do que um curso de idioma, por exemplo”.

    Thais: “Porque eu queria uma aventura! Eu estava muito perdida no brasil, no ramo que não gosto e meio stuck. O au pair apareceu bem quando eu precisava e apesar de as coisas aqui não serem fáceis, eu aprecio essa oportunidade e pretendo aproveitar ao máximo”!

    Gabrielle: “Sempre quis fazer um intercâmbio para melhorar meu inglês. Ia fazer após o colegial mas terminei e já fui para a faculdade. Quando me graduei, decidi que era agora ou nunca. Já conhecia o Au Pair através de amigas que estavam fazendo e quando estava à procura ele foi o programa de intercâmbio mais acessível, de maior duração e o que me proporcionava ter experiência com special needs, pois estava à procura de crianças com Autismo para minha tese. Isso me fez escolhê-lo. Foi uma ótima opção para melhorar o inglês e fazer uma pôs graduação internacional”.

    Marina: “Por que eu estava me formando e sentia que precisava fazer algo diferente e que me desse um impulso em tudo na vida, mas que não fosse caro, e o programa de Au Pair era perfeito pra mim”.

    2. Quais são os lados positivos e negativos que você vê no intercâmbio?

    Hellen: “Vamos começar com os negativos: acredito que o lado negativo aqui seja o de morar com o chefe – é super complicado ainda mais se tu quiser ter teu tempo off só pra ti. Outro lado negativo eu acredito que seja o de algumas familias pedirem para tu “dar satisfação” do que tu faz quando tu usa o carro da família – entendo mas não concordo. Lados positivos: conhecer a cultura americana no cotidiano, bem a fundo mesmo, pois tu vai estar vivenciado todos os processos da vida das pessoas aqui nos EUA. Ter uma renda fixa por semana – que sim tu consegue viajar e comprar coisas para você mesma, só precisa ter um pouco de controle e os objetivos formados. Viajar e conhecer outro idioma são pontos ofrtíssimos para mim!”

    Larissa: “Os lados positivos são todo o aprendizado, crescimento e amadurecimento que temos, as pessoas e lugares que conhecemos e todas as incríveis experiências (um natal com neve de verdade, jantar de thanksgiving, halloween, paisagem toda laranja e marrom no outono e outras coisas). A parte negativa é lidar com uma cultura muito diferente, com coisas que vão contra o que é “normal” para a gente, que não faz parte do nosso dia a dia. É difícil também lidar com a saudade das pessoas e coisas que amamos”.

    Thais: “Positivos: você viaja bastante, conhece mtos lugares e pessoas novas, aprende uma lingua e cultura diferente, e principalment aprende a ser independente. Negativos: Morar com os chefes não é nada facil, cuidar de criança nao é glamuroso, ter um schedule meio váriavel, porque você sempre depende dos horários das crianças para ter seu tempo livre”. 

    Gabrielle: “O negativo, na minha opinião é não ter liberdade. Não é fácil morar com uma família que não é a sua e ter que dar satisfação de TUDO nos mínimos detalhes. Essa questão de respeito mútuo chega uma hora que é esquecida e eles acabam invadindo sua privacidade. Acho isso desgastante para ambos ! O lado positivo é vivenciar uma nova cultura, conhecer gente de muitos países e fazer coisas que você jamais pensou que seria capaz de fazer. Você vai descobrir quão forte és, e isso dá orgulho. O lado positivo vai te mostrar o quanto você é flexível e que você pode sim sobreviver e evoluir como pessoa”.

    Marina: “Aqui eu tenho a chance de conhecer pessoas, lugares, comidas e hábitos que eu nunca conheceria se continuasse no Brasil, assim com de ganhar minha graninha e estudar. Mas mais do que isso, fazer intercâmbio me faz conhecer cada dia mais eu mesma e quais são os meus limites. Parece louco, mas morar fora do meu país me faz enxergar tudo e todos de uma forma bem mais clara, me faz abrir os olhos pra minha vida e pro mundo.
    Acho que o único lado ruim de qualquer intercâmbio é não estar na sua casa, com quem você ama”.

    travel-the-world-tumblr

    3. Demorou até se adaptar ? O que acha que mais sente falta do Brasil ?

    Hellen: “Achei que eu fosse demorar para me adaptar, mas pelo contrário, foi super tranquilo! O que eu mais sinto falta do Brasil: para uma gaúcha que nem eu é uma roda de chimarrão pra jogar conversa fora e os churrascos em família e com amigos. Ahhhhh churrasco…aquele gaúcho mesmo”!

    Larissa: “Me adaptei mais rápido do que eu imaginava que iria. Acho que por ser tudo tão novo, eu fiquei animada e me adaptei rápido. Eu sinto muita falta das pessoas que amo, da comida e do jeito alegre e simpático das pessoas no Brasil”.

    Thais: “Meu primeiro mês foi bem dificil. Chorei muitooo, desabafei com amigos e familia, queria voltar pra casa. Mas agora, completando 4 meses de EUA posso dizer que estou adaptada. Ainda sinto muita falta da minha familia, mas principalmente da comida hahaha”.

    Gabrielle: “Não tive problemas para me adaptar, foi bem rápido. Sinto falta da minha família, cachorros, amigos e minha liberdade”.

    Marina: “Eu me adaptei bem fácil! Mas claro que tem coisas que eu sinto falta aqui: da minha família, dos meus amigos, de farofa, de paçoca e de pão de queijo Hahaha”.

    4. Qual é a sua prioridade no intercâmbio: Viajar pelos EUA, estudar ou guardar dinheiro ?

    Hellen: “Minha prioridade no intercâmbio é aprimorar meu inglês (que não era tão ruim assim). Primeiramente eu queria tentar fazer algum curso relacionado à minha area de formação (Administração) mas nao achei nada legal que fechasse com mey schedule, aí desisti e fiz outros cursinhos. E com toda a certeza, Viajar pelos Estados Unidos – infelizmente não pude viajar muito para outros estados, mas conheço bastante do estado de Washington que é o que eu moro. Mas já tenho planos e praticamente data de início para uma Road Trip pelo país inteiro junto com meu namorado <3”. 

    Larissa: “No meu primeiro ano como au pair minha prioridade era viajar. Viajei mais em um ano do que tinha viajado em toda minha vida antes. Mas agora estou juntando um pouco de dinheiro (não da pra voltar com uma mão na frente e outra atras, né? E o dólar alto está me ajudando). E estudar, sempre! Acho que qualquer curso vai acrescentar bastante no meu currículo”.

    Thais: “Eu estou tentando viajar ao maximo, mas tb estou estudando, meu objetivo sao fazer 3 cursos aqui e ate agora estou no prazo. Por outro lado tento guardar pelo menos um pouco de dinheiro para qualquer emergencia”.

    Gabrielle: “Estudar ! O restante vou conciliando. Mas dá sim para fazer os três, é difícil, mas não impossível”.

    Marina: “Todas! Eu tento fazer de tudo um pouco: guardo uma parte do meu salário na poupança, uma parte para pequenas viagens e o resto para o que eu quiser fazer. E até agora tem dado certo! É só se planejar certinho que você consegue fazer o que quiser”!

    Obrigada meninas pela participação, eu e todas as leitoras amamos conhecer um pouco mais sobre vocês!

    Deu pra ver que a adaptação aqui é fácil, que você sempre sentirá saudade de casa e da comida e que dá sim pra viajar e guardar graninha =)

    Espero que tenham curtido! Um beijo <3

    Estamos chegando a reta final do nosso especial aqui no blog, então se quiserem novos assuntos sobre o mundo de au pair para que a gente discuta ainda no especial Minha Vida como Au Pair, deixa nos comentários do post !!

    Já falamos sobre schedule, horas trabalhadas, horas extras e alimentação das kids, hoje o assunto é: Atividades com minha Host Kid. Como as au pairs costumam passar o dia? Quais são as atividades da semana? Eu posso dizer que amo dias ensolarados para ir ao parque e fazer as kids ficarem bem cansadinhas para a nap da tarde ! haha

    Relembrando o perfil das meninas e das Kids:

    minha-vida-como-au-pair-schedule-cabide-colorido-perfil

    1. Os Host Parents te deixam interferir na educação das Kids ? (ensinar coisas básicas, colocar de castigo, decidir onde ir, que roupa vestir..)

    Hellen: “Os meus Host Parents me dão total autoridade, sou praticamente uma governanta lá. Se eu disse não, mesmo que as crianças peçam pros pais, vai valer o que eu disse. Então, eu tenho total autoridade nas decisões”.

    Larissa: “Algumas coisas sim. Os hosts me disseram que devo chamar a atenção se minha kid me desrespeitar, pois isso é incaceitavel para eles. Sobre lugares para ir eu escolho algumas opções e deixo minha kid escolher uma delas”.

    Thais: “Sim eu tenho total autoridade com eles. A hosta escolhe a rouoa da menor normalmente e ela diz que posso ensinar portugues, botar de castigo, tirar ipod e etc”.

    Gabrielle: “Sim. Desde o começo tenho autonomia para interferir em tudo. Já trabalho com crianças há muitos anos. Sou formada em Psicologia, então minha maneira de trabalhar é um pouco “rígida”, não gosto de deixar nada passar. Sempre crio  “chart” de tarefas e metas à cumprir e de bom comportamento. Utilizo técnicas de reforço positivo e também “punição” para  comportamentos inadequados. Por exemplo, “time out” ou perder algum benefício ( eletrônicos, passeio… etc) e sempre muita conversa para que fique bem claro para eles o porque estão sendo punidos. O que acho bacana é que a host Family não interfere nas minhas decisões, por exemplo, se a kid vai perder o iPad da semana por não ter se comportado. Tento ensinar tudo que é necessário e ajuda no crescimento saudável deles. Muitas de nós passamos mais tempo com as kids do que os próprios pais, por isso sugiro para quem vai se aventurar nessa vida de au pair que tenha sempre MUITO bom senso! Não devemos assumir o papel de “pais” da kids, temos que saber separar as coisas e ter muita cautela pois estamos cuidando de crianças que estão em desenvolvimento e tudo o que fizemos nessa fase irá influenciar o futuro deles. Somos referência e seremos lembradas por eles. O segredo é sempre ter um bom diálogo com a família para decidir e alinhar as coisas para que você possa desenvolver um bom trabalho”.

    Marina: “Eu tenho autoridade pra fazer o que achar melhor com as kids, desde que eu não as machuque (tipo dar um tapa no bumbum ou pegar pelo braço muito forte) e não grite com elas. Mas colocar no time out, dar bronca, tirar regalias (como não dar um treat quando eles pedirem, deixar sem ver TV ou iPad, tirar brinquedos deles…) eu posso. Eu tenho bastante liberdade pra fazer o que eu achar melhor com as kids, em todos os sentidos, quando eles estão comigo”.

    41238_

    2. Você ajuda com os deveres de casa ?

    Hellen: “Não muito, porque a menina ainda não tem dever de casa. Mas ajudo de vez em quando o menino de 10 anos tem”.

    Larissa: “Sim. Como cheguei quase nas férias na minha nova host, eu ainda não precisei ajudá-lo. Mas eu ajudava as kids da minha outra host family”.

    Thais: “Sim ja que é só o mais  velho que tem homework, eu ajudo ele quando necessário”.

    Gabrielle: “Sim. Todos os dias após a escola eles precisam fazer o dever e também 20 ou 30min de leitura”.

    Marina: “Só a minha kid mais velha tem lição de casa de vez em quando para fazer, pois ela vai começar a 1ª série agora, então não tem muita lição, mas eu nunca ajudei porque ela gosta de fazer com os pais”.

    3. Quais atividades vocês costumam fazer juntos ? (Envolvendo brincadeiras, atividades educativas, cursos que as kids fazem…)

    Hellen: “Normalmente a gente não passa muito tempo juntos, mas com a menina quando eu passo tempo junto eu vou na biblioteca, aulas de natação ou no clube, brinco e faço art crafts. Os meninos não se interessam em passar tempo com a Au Pair, mas de vez em quando pedem pra eu brincar de esconde esconde com eles”.

    Larissa: “Durante as férias, nós andamos de bicicleta juntos, fomos ao cinema, jogamos laser tag, fizemos arvorismo, etc. Eu sempre o acompanho nas aulas de taekwondo”.

    Thais: “Então, normalmente eu não faço muito porque eles passam quase o dia todo fora, mas agora eles irão começar natação, dai vou leva-los. Mas quando da tempo, nós brincamos no jardim, no trampolim que tem aqui!”

    Gabrielle: “Arts&crafts. Monopólis, jogo da vida, competição de dança, ouvir música e atividades externas ( bicicleta, patinete … Etc)”.

    Marina: “Eu levo eles no parque de tarde, brincamos com os jogos deles em casa ou fazemos alguma coisa de artesanato (ou tentamos…). Alguns cursos extra eles fazem na escola, então eu só busco as kids, mas outros eu tenho que leva-los e ficar lá com eles. Meu kid mais novo curte brincar de fazer cócegas, de fingir que estmos fazendo cirurgia um no outro… coisas bobinhas, sabe? Já a menina gosta de brincar com uns bonequinhos que ela tem, de pintar e de conversar. Ah, eu eu sempre tento cozinhar algo com eles! É uma zona, mas os dois adoram, especialmente bolo e brigadeiro! Mas varia muito de acordo com o humor das kids e do schedule que eles tem”.

    4. Fazendo o que suas Kids mais gostam de passar o tempo?

    Hellen: “Elas gostam muito de assistir filme todos juntos na sala, comendo pipoca. Isso é algo que eu normalmente faço com eles quando fico de overnight. E eles adoram”!

    Larissa: “Andar de bicicleta, ler e jogar no ipad”.

    Thais: “O meu kido adora assistir tv, mas a mãe não deixa em dia de semana. Normalmente ele lê ou fica no pc e a menina fica brincando com todos os milhões de brinquedos dela”. 

    Gabrielle: “Eles gostam de fazer atividades fora de casa ( no verão). Ir na praia e no parque para fazer piquenique ou alimentar os patos que tem no lago. Andar de bicicleta e pular no trampolim. Fazem muito playdate, em casa ou no parquinho. E amam jogar no iPad mas isso é limitado, só podem no fim de semana”.

    Marina: “Como eu disse, depende muito do humor deles. Tem vezes que eles só querem ficar em casa, mas tem dias que eles só querem brincar na rua. Mas no geral, eles gostam de brincar com os brinquedos deles, fingir que são artistas de circo ou que estão fazendo yoga (morro de rir com essa kkkkk), andar de patinete ou bicicleta… mas ver TV e ficar no iPad reina! Eu deixo ele escondido o máximo que posso e saio muito com eles para não perderem tempo ficando no sofá”.

    Não esquece de deixar um comentário! Mais uma vez, agradeço de coração todas as meninas que toparam participar do especial e me ajudam a cada semana. :)

    Um beijo!

    Yaayy, vocês curtiram o primeiro assunto no especial “Minha Vida Como Au Pair”, não curtiram ? Amei também os comentários e sugestões de próximos assuntos para tratar com as meninas aqui nos posts =) Obrigada!

    Para quem não viu o post da semana passada, clica aqui. E para vocês relembrarem o perfil de cada uma, aqui está:

    minha-vida-como-au-pair-schedule-cabide-colorido-perfil

    Hoje trouxemos um assunto que parece bobo, mas que todo mundo se interessa em saber! Vir ser au pair é estar preparada para uma rotina totalmente diferente da sua, assim como, uma comida totalmente diferente também! Não vai achando que sua kid vai comer arroz com feijão todo dia porque isso só vai acontecer caso ela seja bem querida para comer e que você cozinhe feijão sempre! hahaha

    1. Deixou claro no application que gosta/sabe cozinhar? Comentou algo no skype com a host family?

    Hellen Hensel: “No application deixei claro que gostava e sabia cozinhar, mas não muito. Acabei passando por Rematch e a atual família precisava que eu cozinhasse bastante, e falei que eu sabia, mas que não cozinhava normalmente na primeira família”.

    Larissa Vale: “Faz um tempinho que preenchi o application, mas lembro de comentar que eu cozinhava e ajudava a minha mãe na cozinha. No skype lembro que as famílias perguntaram se eu gostava de cozinhar e o que eu sabia fazer”.

    Thais Vita:  “Não deixei claro mas tambem não mencionei no app ou no meu vídeo. Eu não gosto e nem sei  cozinhar. Comentei isso no skype com a HF porque a família colocou no app que “Sometimes” a au pair teria que cozinhar e pra mim seria um aprendizado sabe. Mas quando cheguei aqui era todo dia que tinha que cozinhar e isso é uma das coisas que me irrita um pouco”.

    Gabrielle Braz: “Sim. Esse é um assunto que considero extremamente importante explicar detalhadamente em ambos, carta e Skype. Porque se você não curte cozinhar não será legal fingir que sabe ! Futuramente eles vão acabar percebendo que você mentiu e isso pode até resultar em rematch ( tenho uma colega que teve rematch por isso). Alimentação é muito importante para algumas host families e eles são bem exigentes. Então seja sempre honesta (o) quanto à isso. No meu caso, deixei bem claro que eu estava à procura de uma família com hábitos alimentares saudáveis, pois eu não conseguiria viver com quem apenas come “junk food” ou congelados. Queria mesmo é comida de “verdade” e seria um prazer cozinhar porque eu realmente gosto. Encontrei uma família que me sinto muito à vontade com relação à alimentação. Resumo que eles são muito saudáveis, só compram produtos orgânicos e integrais. Sempre temos nas refeições frutas, proteína, salada, legumes e algum carboidrato”. 

    Marina Conrado: “Sim! É uma das coisas que mais amo fazer! Aliás, me formei em Nutrição no final do ano passado, então alimentação é muuuuuito importante para mim”.

    2. Voce cozinha pra familia ou so pras kids?

    Hellen Hensel: “Como normalmente cozinho só o jantar, eu faço para toda a família, até porque eu cuido de 4 kids, ou seja, tenho que cozinhar bastante comida do mesmo, então não me importo de fazer um pouco a mais para os Hosts, que nem sempre jantam em casa”.

    Larissa Vale: “Eu cozinho só para a kid”.

    Thais Vita: “Eu tenho que fazer o jantar para todo mundo, kids e hosts”.

    Gabrielle Braz: “Cozinho para as Kids e às vezes para todos. A host mom sempre me avisa quando ela precisa que eu cozinhe extra”.

    Marina Conrado: “Por obrigação, eu só cozinho para as kids, mas cozinho coisinhas simples, por que eles são bem chatinhos para comer. A coisa mais complicada que fiz foi panqueca brasileira, que minhas kids amam, então é bem sussa fazer comida para eles. Mas de vez em quando eu gosto de fazer algo para todo mundo, tipo um bolo, macarrão com um molho diferente…”

    3. Quais são as refeições que as crianças fazem com você?

    Hellen Hensel: “Normalmente no schedule de summer eles fazem todas as refeições comigo (mas normalmente os meninos não almoçam comigo, só a menina). E no schedule normal de escola, eles só tomam café da manhã comigo e a janta”.

    Larissa Vale: “Normalmente só a janta. Só almoçamos juntos quando ele não tem atividade nenhuma (como escola ou camp) e passa o dia em casa”.

    Thais Vita: “Normalmente só café da manhã e jantar porque no almoço eles estão na escola. Mas nós raramente sentamos na mesa para jantar porque cada um tem um horário diferente aqui em casa”.

    Gabrielle Braz: “Breakfast e Dinner”.

    Marina Conrado: “Geralmente almoçamos e jantamos juntos, além dos snacks ao longo do dia. Eu só preparo café da manhã quando os hosts precisam de ajuda ou quando as kids ficam em casa o dia todo, por que eles acordam mais tarde”.

    Untitled design

    4. O que elas gostam de comer?

    Hellen Hensel:
    “Café da manhã: Cheerios, pancakes, waffles.
    Almoço: chicken, pasta, Mac&Cheese.
    Jantar: Tacos, Flank steak, Hamburguer, Hot dog”

    Larissa Vale: “Ele gosta basicamente de hot pocket, quesadilla de queijo, peanut butter and jelly sandwich e mac and cheese. Super fáceis de preparar”!

    Thais Vita: “Minha menina de 2 come de tudo e digo de tudo mesmo! Tudo que tiver na frente dela e especialmente no prato dos outros ela quer. Já meu menino de 9 é super fresco em relação a comida, não gosta de feijão nem purê de batata, coisas que adoro fazer. Ele gosta muito de macarrão”.

    Gabrielle Braz:
    “No Breakfast eles gostam de algum desses:
    – Cereal+Milk
    – Tost+ Peannut butter+ Banana and Orange Juice.
    – Tost+ Cream cheese + Jelly
    – Fruits
    – Ovo mexido
    No Dinner esses são os pratos favoritos:
    – Macarrão integral + espinafre + salsicha vegetariana.
    – Salmão + Brócolis.
    – Frango refogado com legumes”.

    Marina Conrado: “Basicamente, macarrão cozido e sem molho, só com queijo ralado por cima, nuggets, sanduíches, ovo e algumas frutas. Como falei, eles são muuuuuito chatinhos para comer, mas de vez em quando eu consigo fazer eles comerem algo diferente, comida DE VERDADE, sabe? Ah, e sorvete! Se eles pudessem, comeriam sorvete TODO SANTO DIA! hahaha”.

    Que demais saber sobre a rotina de cada uma das meninas, né? Por mais que as kids da Gabi sejam até que bem saudáveis, deu pra perceber que a maioria das crianças americanas curtem mesmo é a trash-food.

    Espero que tenham gostado, não esquece de deixar seu comentário!

    Um beijo <3

    Há, eu comentei sobre o especial Minha Vida como Au Pair na quarta-feira passada e todo mundo curtiu a ideia <3 Fiquei feliz em ler os comentários de vocês!

    minha-vida-como-au-pair-cabide-colorido-mialvess

    O primeiro assunto do especial é SCHEDULE, ou seja, programação das au pairs..horários em que trabalham e como funciona o esquema de extra, trabalhar mais do que as 45 horas e etc. Antes disso, deixa eu apresentá-las:

    minha-vida-como-au-pair-schedule-cabide-colorido-perfil

     

    Agora que vocês já conhecem a carinha de cada uma e o perfil, vamos as perguntas e respostas de cada uma!

    SCHEDULE DAS AU PAIRS:

    1- Qual o seu schedule semanal?

    Hellen: “Depende muito do que as kids tem durante a semana, mas normalmente no verão: Monday and Wednesday: 8:ooam – 7:00pm e Tuesday, Thursday and Friday: 8:00am – 4:30pm. Quando tem aula: Monday and Wednesday: 6:30am – 9:00am (break) 12:45pm – 8pm, Tuesday, Thursday and Friday: 6:30am – 9:00am (break) 12:45pm – 4:30pm”.

    Larissa: “Meu schdule é de segunda a sexta. Das 7am as 9 am e depois das 3pm as 7pm. Esse é o schedule em período escolar. Agora nas férias cada semana é diferente, pois depende do camp que ele ta participando. Mas é mais ou menos isso, trabalho pela manhã ajudando com café, preparar lanches e dirigir, e a tarde vou busca-lo e fico com ele até a host chegar (por volta das 7pm)”.

    Thais: “Segunda a sexta de 6:30am às 8:00am e de 14:00 às 20:30 e 2 sábados de 8h ao meio dia por mês”.

    Gabrielle: “7:00 às 9:00am, break e volto às 3:30 até 8:00pm”.

    Marina: “Até o final das aulas era de segunda a sexta, das 12h às 18h (meu host dad sempre atrasa um pouquinho, mas nada muito além de meia hora). Quando as aulas voltarem, eu vou trabalhar das 12h às 18h de segunda, quarta e sexta e das 15h às 18h de terça e quinta, pois o menino vai ficar um pouco mais na escola. Meus hosts levam as kids pra escola pq eles são beeeeeeem difíceis, principalmente de manhã, mas de vez em quando eu tenho que levar eles pra escola, mas só se não tem como nenhum dos meus hosts levarem”.

    2- Rola trabalhar no final de semana? Se já trabalha no find, aceitou tranquilo isso quando fechou com a familia?

    Hellen: “Na minha primeira família eu tinha que trabalhar ou no sábado a noite ou no domingo. Mas mudei de família (rematch) e aqui quase nao trabalho nos fins de semana só se eles realmente precisarem ou se alguma outra nanny não pode cobrir. Mas ja trabalhei sim e aceitei tranquilo”.

    Larissa: “Já trabalhei de final de semana. Foi tranquilo. A host perguntou, com antecedência, se eu estaria disponível”.

    Thais: “Aceitei tranquilo, são só 2 por mês e sobra 2 para viajar e tal”.

    Gabrielle: “Sim. Trabalho em média 2 sábados por mês de 2 a 4 horas, no período da manhã ou a tarde. Foi combinado antes de fecharmos o match e até agora não tive problemas”.

    Marina: “No meu schedule antigo eu não tinha que trabalhar de final de semana, a não ser uma vez que combinamos de eu fazer um extra no sábado, mas eu ganhei um dia off a mais na semana, então ficou “elas por elas”. Fora isso, sempre que eu trabalho de final de semana, é extra. Agora com o schedule novo eu talvez trabalhe um sábado sim e um não, mas meus hosts são beeeem flexíveis, então se eu tiver compromisso marcado pra algum fds, a gente conversa e acerta tudo e fica td tranquilo”.

    3- E quando passa as 45 horas, você faz extra? Cobra por isso? Quanto? 

    Hellen: “Então, normalmente passa das minhas 45h. Só que eles só me pagam extra quando o total da semana passa das 45h e não quando passa das 10h por dia. E eles me pagam $12 por hora, mas estou pensando em cobrar $15 até porque faço a mesma coisa que a nanny ou mais”.

    Larissa: “Nunca cheguei a passar das 45 horas”.

    Thais: “Minha host paga as horas extras em horas de folga para a próxima semana”.

    Gabrielle: “Foram pouquíssimas vezes que isso aconteceu e acordamos como “banco de horas” vou acumulando horas e pego um dia off a mais quando preciso viajar”.

    Marina: “Minha host mom que perguntou se eu faria extra de boa quando que cheguei, e ela paga $15/hora. Ela ainda deixa aberto pra eu fazer extra com outras famílias, e inclusive me indica”.

    4- Já trabalhou overnight? Quanto cobrou?

    Hellen: ” Já trabalhei overnight. Nas primeras vezes não cobrei. Mas depois cobrei $50 (mas deveria ter cobrado mais)”.

    Larissa: “…E nunca precisei trabalhar overnight também”.

    Thais: “Não, mas já fiquei ate mais tarde tipo umas 11 da noite”.

    Gabrielle: “Nunca trabalhei overnight”. 

    Marina: “Nunca fiz overnight. Acho que minha host family tem dó de me deixar 24h com às kids, pq eles dão muuuito trabalho! kkkk”. 

    Uau, muita coisa diferente entre cada um dos schedules né!? Na semana que vem vamos falar de Alimentação das Kids! 

    Um beijo!