• Vídeo Novo

  • Quando eu estava me preparando para embarcar para o Peru muita gente me disse que eu iria amar a cidade, não só pela cultura e paisagens incríveis, mas também pela comida. É fácil ser vegetariano/vegano naquele país, sério!

    Os Peruanos adoram uma salada, quinoa e pães, e é claro que eu como uma boa vegetariana (seguindo o rumo para o veganismo) adorei isso né!? E hoje eu vou te indicar o meu restaurante vegano preferido em Cusco, o Green Point.

    Para você ter uma ideia, de seis dias que estive em Cusco, visitei o Green Point três vezes, todas na hora do jantar já que deixávamos o hostel muito cedo e voltávamos pra casa depois das 18:00 (devido aos tours e tal). Pelo o que eu andei lendo, ao meio dia você consegue comer super bem nesse restaurante pagando apenas 12 soles, o que da uma média de R$14,00. E o menu do almoço consiste em sopa, salada e prato principal!

    Mas e quanto à experiência que eu tive visitando e jantando nesse lugar? NÃO PODERIA SER MELHOR! Doeu o coração quando fui embora e pensei que não comeria aquela comida tão cedo. A noite é servido uma entradinha de torradas com azeitonas e um molho cheddar vegano, tudo cortesia da casa. E o menu é incrivelmente completo! Desde saladas, sopas, opções de sushi, risotos, tacos mexicanos, leites vegetais, cafés, sobremesas até opções raw food para os adeptos do crudivorismo.  É O PARAÍSO!

    Todos os pratos acima eu tirei durante as minhas idas até lá. Em uma das noites passei lá após jantar em um outro restaurante (que nem foi tão bom assim), só para tomar um chocolate quente com leite de coco e comer um cookie de chocolate. Essa dupla me custou 10 soles, o equivalente a R$12,00. E valeu super a pena! O preço dos pratos principais à la carte vão de 20 a 40 soles, e alguns pratos de 40 a 60 são para dividir, como é o caso dos tacos mexicanos.  Você consegue comprar uma taça de vinho por nove soles e uma kombucha por oito.

    O ambiente do restaurante é bem aconchegante, quentinho e com uma vibe incrível. Sempre com um incenso aceso para trazer um “Q” de casa ao lugar. No primeiro andar você pode escolher entre mesas de 2 a 4 pessoas e no segundo andar há mesas de até 10 pessoas, ou então, as share tables que é como eles as chamam, exatamente para quem ta afim de dividir lugar com outras pessoas e fazer amizade!

    Esse restaurante que eu visitei ficava próximo da praça San Blas, mas eles possuem uma outra unidade na cidade que ficara DO LADO do meu hostel Pirwa. O Green Point II, como é conhecido, funciona apenas das 08:00 às 16:00 e por conta disso eu nunca tive a oportunidade de ir visitá-lo. Pelo o que eu entendi você pode almoçar por lá, no mesmo esquema de menu do dia citado acima, e tomar um café da tarde!

    Super recomendo esse lugar, minha barriguinha sente saudades!

    Green Point 1 (San Blas)

    Aberto: de segunda a sábado.
    Horário: café da manhã: 8:00 as 11:00. Almoço: 12:00 as 15:00. À la carte: 12:00 as 22:00.
    Endereço: 235 Calle Carmen Bajo (perto da Praça San Blas), Cusco.

    Green Point 2 (San Francisco)

    Aberto: de segunda a sábado.
    Horário: café da manhã: 8:00 as 11:00. Almoço: 12:00 as 16:00.
    Endereço: 310 Plaza San Francisco (Praça San Francisco), Cusco.

    Site: www.greenpointveganrestaurant.com

    Um beijo, até a próxima!

    Eu ainda não sou vegetaria, ainda como frutos do mar, leite e ovo. Mas parei com as outras carnes há pouco mais de 1 ano. E sempre me interesso por assuntos vegetarianos ou sobre o veganismo. Fico feliz quando vejo que esse mercado aumentou, não só de pessoas aderindo a essa escolha, mas como também aumentou as opções de lugares, restaurantes e receitas para esse grupo.

    Às vezes algumas cidades até têm opções de alimentação mas a gente não conhece e na hora de montar um roteiro de viagem, é super importante procurar as dicas certas que se enquadram na sua alimentação! E em meio disso, descobri algo muito legal pelo site Nômades Digitais que acontece em Berlin! Uma alemã de 31 anos chamada Maja Olszewska faz um tour vegano por Berlin chamado Vegan Tours Berlin, ela dura de 2 a 3 horas e são todos feitos a pé. São grupo de poucas pessoas e ele combina a experiência culinária e é focado em pessoas que não consomem derivados de animais.

    E o preço? Ela não cobra pelo tour, ela pede doação do quanto você achar que o programa merece. Legal, né?

    Alguém conhece algum tour no Brasil assim?

    As fotos são da Andra Tseng e Andrea Ma! E a fonte que me inspirou no post é do Nômades Digitais.

    Até semana que vem!

    Mais um post sobre vocabulário aqui no blog, e aproveitando que hoje é quinta-feira (dia de receitas no Cabide Colorido) eu trouxe um assunto que acho que vai ser de muito interesse de vocês: Como dizer o nome daquela comida brasileira em inglês ?

    Isso serve pro dia que você achar um restaurante brasileiro na sua cidade e quiser pedir pelo seu prato preferido, mas nao sabe como dizer. Ou pro dia que sua host mom te perguntar qual sua comida brasileira preferida e você saberá falar em inglês ou melhor: para procurar receitas em inglês do seu prato preferido! Dessa forma, quando você procura em inglês a receita já estará usando ingredientes gringos, o que facilita na hora de ir no supermercado comprar os ingredientes.

    feijoada

    Bacalhau: Cod Fish Casserole.

    Moqueca de Peixe: Fish Stew.

    Empadão: Chicken Pot Pie.

    Churrasco: Barbecue. Mas é importante dizer que é um Brazilian Barbecue, e não American. QUE ÓBVIO, é totalmente diferente.

    Feijoada: Black Bean Stew ou Black Bean Slowcooker. Mas claro que, feijoada é tão delícia que a maioria dos americanos já conhecem pelo nome ‘feijoada’.

    Couve Refogada: Collard Greens.

    Pastel: Brazilian Meat Pie (para pastéis salgados) e Fried Pie (para pastéis doces).

    Coxinha: Chicken Fritters

    Mandioca Frita: fried Yucca ou yucca croquettes.

    Arroz Doce: Rice Pudding.

    Brigadeiro: Chocolate Trouffle.

    Mousse de Maracujá: Passion Fruit Mousse.

    Pão de Queijo: Cheesebread.

    Espero que tenha sido útil !! Se você souber algum nome de comida Brazuca em inglês, comenta !

    Um beijo, amo vocês =)

    Mais um post sobre vocabulário aqui no blog. Vocês estão curtindo, então eu continuo fazendo! Podem me mandar sugestões nos comentários do que querem ver nos próximos posts de Vocabulários em Ingles =)

    O assunto de hoje é beeem útil para a galera que mal chegou nos EUA ou em qualquer país onde se fala a língua inglesa e quer pelo menos pedir o que comer em um restaurante/rede de Fast Food.

    doublecheeseburger_hero_pdt

    É muito comum as pessoas usarem “I want…” quando querem pedir alguma coisa no restaurante.

    – “I want two cheeseburguers and a small coke
    A frase acima está correta em termos gramaticais, mas muito rude. Dizer só “EU QUERO TAL COISA” não é nada gentil da nossa parte.

    – “I want two cheeseburguers and a small coke, please”
    Colocando o “please” atrás da frase a coisa fica um pouco mais bonitinha e gentil.

    – “Can I have two cheeseburguers and a small coke, please”
    Agora sim! Usando “Can I have..” a frase passa a ser uma pergunta o que soa muito mais gentil e educado. Além dessa forma você pode usar “I would like ….” também.

    Já se você for em algum lugar mais Fancy (chique) e precisar fazer uma reserva por telefone anteriormente você pode dizer: “Hi, I would like to make a reservation under the name of (seu nome), for (tantas pessoas) “X” people at 8:30pm, please.”

    Usamos a palavra “party” para nos referirmos a um grupo de pessoas, não necessariamente a uma festa. Então, no exemplo acima, “it’s a party of eight”.

    Ao chegar ao restaurante, diga “I have a reservation under…”, e se for convidado: “I’m here for Fulano’s party”.

    Diferentes Ambientes em Restaurantes

    Patio (pronuncia-se “périou”) – área aberta para livre disposição das mesas (às vezes ao ar livre).

    Dinning room – ambiente mais aconchegante para jantar. Maioria dos restaurantes são assim.

    Lounge – ambiente com bar, música um pouco mais alta e pouca iluminação.

    Os dois tipos mesas são: table (mesa solta) ou booth (cabine).

    As booths contam com altos assentos estofados que separam um grupo de clientes do outro, dando maior privacidade. São comuns nos dinning rooms. Tipo esse da foto:

    diner_restaurant_booth_corner

    As tables, por serem livremente arranjadas, são usadas para parties com número de convidados maior do que uma booth acomoda. Geralmente são organizadas no patio.

    contemporary-restaurant-interior-design-with-casual-atmosphere-of-suede-las-vegas-dining-table

     

    Quanto a quem trabalha nos restaurantes:

    Hostess: Mocinha que pega seu nome na entrada e o leva até a sua mesa
    Waiter: Garçons
    Cashier: Pessoa que fica nos caixas (tanto de supermercado como das redes de fast food)

    Para fazer o pedido:

    Ouvimos do waiter:

    Are you ready to order? – Está pronto para pedir?
    – What’s your order? – Qual o seu pedido?

    Se não estiver pronto, diga…
    Almost! (Quase!), Not yet (Ainda não), ou We are still deciding (Nós ainda estamos decidindo).

    Se você quer que a sua comida não tenha algum dos ingredientes listados no cardápio, você diz:

    – Can you make it without tomato?
    – Você pode fazer sem tomate?

    Ou então:

    – I’ll have the Sirloin Hamburger – hold the tomato – and an orange juice.

    – Vou querer o hambúrguer de picanha – sem tomate – e um suco de laranja.

    Para substituir um ingrediente:

    – Can I have strawberies instead of blueberries? (morangos no lugar de blueberries).

    Na hora de escolher o ponto do seu hamburguer ou carne no restaurante:

    Server: How would you like your steak? (como você quer sua carne/hamburguer?)

    rare (mal passado)
    medium (ao ponto)
    well done (bem passado)

    Para pedir a conta você pode dizer: “Can I have the bill (ou check)  please?

    Em fast foods não é normal dar tip (gorjeta) afinal o CASHIER não teve muito trabalho em tirar seu pedido. Mas quando vamos a restaurantes onde você sente, pede o menú, passa um tempo por lá e tudo mais, quando a sua conta vier  pra mesa você deve pagar pelo menos 15% do valor da sua conta do restaurante em tip. Ou seja, se a conta deu 20 dólares dê pelo menos U$2.50 de gorjeta totalizando uma conta de U$22.50.

    Mais frases sobre vocabulário no restaurante você pode ver nesse link (com áudio): www.bomingles.com.br/frases-uteis/restaurante

    See you next time!
    Deixe seu comentário para me dizer se gostou =)

    Uma padaria que tem seu próprio seriado na TV Americana, mais de 1 milhão de likes no facebook e uma P*ta fama, não é pra qualquer um hein. Foi pensando nisso tudo e somando o carinho que tenho pelo Buddy (dono da padoca) depois de assistir a tantos episódios de Cake Boss, que quando eu cheguei no Café Shop dele da Times Square eu quase caí pra trás.

    carlos-bakery

    Carlo’s Bakery nasceu em 1910 na cidade de Hoboken em New Jersey, 40 minutinhos de NYC! O fundador foi Carlo Guastaferro e passou por vários compradores até o que é hoje. A padaria ganhou fama por conta de um seriado na tv americana TLC em Abril de 2009 onde a ideia de cada episódio era aceitar uma encomenda mega diferente para que Buddy e sua equipe podessem criar o bolo mais detalhado e bonito de toda a América.

    Carlos_Bakery_LE1

    Hoje em dia a Carlo’s Bakery tem uma fábrica onde fabrica em super grande quantidade várias tortas, bolos e cupcakes para serem vendidos em grandes supermercados por todo os EUA.  Além da fábrica, abriu mais 10 filiais além da original que ainda se situa em Hoboken, no mesmo prédio, com quase que a mesma aparência!

    Eu gostaria muito de ter visitado a padaria original, lá em Hoboken, mas como tive pouco tempo por NYC esse passeio teve que ficar pra uma próxima! De qualquer forma, a padaria da Times Square é bem fofa e tem doces maravilhosos. Achei um pouco caro, as sobremesas individuais custam U$9.95, canoli U$3.50 e cookies e outros doces mais sequinhos é U$1.50. Eu peguei um canoli, que é a sobremesa mais conhecida da padaria e posso dizer com certeza que : MANO É BOM DEMAIS!

    273076b1ad94ca93812dd627faab2305

     

    Trata-se de uma massinha frita enrolada e por dentro um creme dos deuses que é sempre beeem geladinho! A massinha tem um final de canela com baunilha que nossa senhora, quero outro por favor!

    Enfim, minha experiência lá foi bem saborosa! A Bruna pegou um folhado com chocolate branco e um creme de baunilha que também era dos deuses..

    Fica minha dica hein, quando for a NYC passa na Carlo’s Bakery e se tiver tempo, vá de trem até Hoboken e experimente os doces direto da fonte. Quem sabe você esbarra com o Buddy, hein ?

    Veja mais no site: bakeshop.carlosbakery.com

    Beijo grande, amo vocês!