• Vídeo Novo

  • Você já sabe, né!? Passei 30 dias na Europa fazendo meu intercâmbio em Dublin e conhecendo vários países incríveis! Na Irlanda do Norte, Inglaterra e Holanda eu tive o prazer de me hospedar em um Airbnb!

    O Airbnb começou em 2008 quando dois designers que tinham um espaço extra hospedaram três viajantes que estavam em busca de um lugar para ficar. Hoje, milhões de anfitriões e viajantes optam por criar uma conta Airbnb gratuita para poderem anunciar seu espaço, e/ou reservar acomodações exclusivas em qualquer lugar do mundo.

    Esse parágrafo acima retirado do próprio site do Airbnb resume perfeitamente qual é a proposta deles! Diferente de hotéis, hostels e outros tipos de acomodação, no Airbnb você escolhe se irá alugar o quarto inteiro dentro da casa do anfitrião, quarto compartilhado com outros viajantes, ou se será a casa/apartamento todo. A primeira e segunda opção são incríveis quando você está viajando sozinha(0) ou com mais um amigo. Assim, você acaba conhecendo o anfitrião, compartilha da casa com ele, e às vezes até com outras pessoas que podem alugar os outros quartos daquele mesmo lugar.

    Se você estiver viajando com a família, ou amigos, é bacana alugar a casa ou apartamento todo! Pensa: Toda a infraestrutura de uma casa completamente equipada para facilitar a vida de vocês enquanto estiverem turistando por aquela cidade. Cozinha, banheiro, toalhas disponíveis, wi-fi, segurança, e as vezes até garagem, são algumas das coisas que podem vir inclusas no valor da reserva.

    Na Irlanda do Norte por exemplo, tivemos duas experiências totalmente diferentes. Na primeira casa (que na verdade era um apartamento), optamos por ficar com um quarto, e o anfitrião liberou a cozinha e banheiro sem problema algum. O diferencial estava em: tinha outra pessoa no outro quarto do apartamento! E esse outro hóspede era dos Estados Unidos e super simpático. Ou seja, nos hospedamos em um lugar bacana, economizamos na comida, já que podíamos usar a cozinha do apartamento, e ainda fizemos um amigo do Texas!

    A outra experiência na Irlanda do Norte foi em uma mansão dos anos de 1910 na cidade de Ballymoney. A mansão era super antiga e com carinha de mal assombrada. Imagina, que nada! O casal de velhinhos que mora por lá é super simpático, solícito e amigável! Nós amamos nossa hospedagem, além de escutar várias histórias, jantar com a família e receber um café da manhã delicioso no dia seguinte!

    AIRBNB EM BELFAST: Clique aqui pra ver
    AIRBNB EM BALLYMONEY: Clique aqui pra ver 

    Em Londres, a escolha por um Airbnb foi pelas ótimas experiências anteriores, em outros países, mas também pela diferença no preço. Quando você compara um hotel com quarto para duas pessoas, ou um Airbnb próximo a uma linha de metrô, o preço cai pela metade! Ficamos em uma casa típica Londrina, com mais outros três casais. A casa possui quatro quartos e o anfitrião aluga cada um deles no Airbnb. Foi uma experiência bacana já que a casa fica bem próxima a uma estação de metrô que nos possibilitava chegar no centro em 10 minutos. Pra você ter uma ideia, pagamos R$600,00 em cinco noites para duas pessoas em Londres! Demais, não é!?

    E ai ai, o último lugar em que nos hospedamos durante a trip foi em Amsterdam, uma das minhas cidades preferidas no mundo! E olha, não poderia ser mais perfeito. Ficamos em um quarto dentro de uma casinha daquelas bem estreitas e que aparecem em todas as fotos do resultado do google quando você busca por “Amsterdam”, sabe!? Foi uma experiência incrível e fiz um tour completo por ela nesse vídeo abaixo:

    O quarto é super bem localizado, tem uma vista incrível pro Rijskmuseum e fica a menos de 15 minutos andando de qualquer ponto principal da cidade. Ah, e os hosts são queridos demais! Já fiz amizade e tenho eles até no meu Facebook! haha

    E você, já se hospedou alguma vez no Airbnb? Eu indico super! E tenho um descontinho pra você que quer criar a sua conta e fazer sua primeira viagem: clique aqui. 

    Espero que tenha gostado da dica!

    Um beijo, até a próxima!

     

    Eu soube há poucas semanas que minha avó por parte de Pai nasceu na Bélgica. Incrível né? Mais incrível ainda foi o fato de eu já ter colocado esse país na lista de lugares para visitar durante a Eurotrip, antes mesmo de saber disso. E olha, a Bélgica não me decepcionou.

    Visitei Bruges, uma das cidades medievais mais antigas do mundo, e me apaixonei. É uma cidade pequena, ainda pouco turistada, mas só de andar pelas ruas você já se sente dentro de um museu antigo. E foi lá que eu me hospedei no hostel mais lindinho que eu conheço até o momento, o St Christopher’s Inn Bauhaus! 

    Como já comentei neste post aqui, o St Christopher’s Inn é uma rede que reúne vários hostels descolados, joviais, de qualidade e preço justo, pela Europa. Em Bruges, o hostel do St Christopher’s Inn é no Bauhaus, no coração da histórica cidade antiga, cercada por arquitetura medieval de estilo neogótico e à poucos minutos a pé da Praça Central, da Torre do Campanário, dos canais de tirar o fôlego e da Praça Burg. Eu fiz tudo andando, e não levou nem 15 minutos, a cidade é pequena, e o hostel bem localizado.

    Como hóspede do hostel, você receberá bebidas especiais durante todo o dia no bar Bauhaus – um tradicional Bar de cerveja belga mergulhado em história e antiguidades que fica no térreo do hostel. O bar Bauhaus tem mais de 50 tipos de cerveja oferecidos a qualquer momento. Não se esqueça de perguntar sobre os tours noturnos de degustação de cerveja, e tours gratuitos pela cidade. O bar do hostel é um ótimo lugar para conhecer viajantes e habitantes locais todas as noites da semana.

    Além disso, fazendo sua reserva através do aplicativo do St Christophers’Inn, você poderá desfrutar de vários benefícios, como café da manhã gratuito, locker, wifi e outras promoções no restaurante.

    A diária no St Christopher’s Inn Bauhaus começa a partir de 16 euros, nada mal para uma cidade pequena e super cara. O café da manhã é uma mão na roda, porque nos restaurantes os pratos não costumam ser mais baratos do que 20 euros. Fica a dica!

    The Bruges Experience from St Christopher’s Inns on Vimeo.

    Espero que tenham gostado da dica de hoje, eu adorei o hostel e não vejo a  hora de voltar.

    Nest post aqui eu contei um pouco sobre como funciona o St Christopher’s Inn, uma rede de hostels incríveis pela Europa. E hoje quero falar pra vocês como foi minha experiência no hostel deles em Edimburgo, na Escócia.

    Começando pela cidade, que é maravilhosa e simmmm, você que está planejando viajar para a Europa, precisa visitar. Tem vlog mostrando tudo que eu mais amei fazer naquela cidade, lá no canal do Youtube. LINK AQUI. 

    O hostel St Christopher’s Edinburgh está localizado no centro da capital escocesa, ao lado da estação Waverley (que é a principal), pertinho da Princess Street (que conta com muitas lojas grandes, pubs e restaurantes) e a poucos minutos a pé da Royal Mile e do Castelo de Edimburgo.

    É o lugar perfeito para você que tem pouco tempo na cidade e quer fazer tudo a pé. Além disso, é oferecido um café da manhã delicinha todas as manhãs (das 07:00 as 10:00), Wi-Fi gratuito e um monte de extras gratuitos que você recebe quando faz sua reserva através do app deles.

    No térreo, ao lado da recepção, você encontrará o bar e o restaurante de Belushi’s onde você, hóspede, receberá 25% de desconto em todos os pratos no menu. O Belushi’s é o lugar perfeito para conhecer pessoas do mundo todo. Viajantes que estão na mesma situação que você, ou então até os atendentes, que em grande maioria são viajantes e estão ali por pouco tempo. O bar conta com música ao vivo (no dia que fui lá, tocou até Britney acústico), noites de karaokê, dj’s, cervejas deliciosas e drinks.

    Eu e a Bruna ficamos em um quarto só nosso, com cama de casal e banheiro particular, e foi maravilhoso. Pagamos 25 euros por diária (para as duas pessoas), e achei bastante justo. Economizamos no café da manhã (que é gratuito) e o wi-fi funcionou super bem. Além disso, hóspedes tem desconto em drinks e cervejas! As diárias começam em 9.80 euros por dia. Nada mal, não é?

    Se quiser saber mais sobre o St Christopher’s Inn Edinburgh, clique aqui.

    Espero que tenha gostado, qualquer dúvida deixe nos comentários abaixo!

    Até a próxima!

    Quando você pensa em viajar para a Europa, o que te vem a mente? Na minha mente se passam coisas como por exemplo: conhecer vários países, sair com uma mochila nas costas, fazer amigos do mundo todo, e tirar muitas fotos incríveis!

    Foi mais ou menos assim que rolou a minha viagem de 30 dias para a Europa durante o mês de Setembro, tirando a parte de “mochila nas costas” já que eu não sou tão aventureira quanto gostaria. Tudo bem que, passar 12 dias conhecendo 4 países com uma mala de mão já foi bem aventureiro pra mim hahaha.

    E o que a gente quer quando faz uma trip assim? ECONOMIA! Sim..é a primeira coisa que eu busco, claro que, quando aliada a qualidade fica melhor ainda. Por isso a dica de hoje é o St Christopher’s Inn. Uma espécie de rede de hostels que uniu vários hostels incríveis pela Europa, para um único propósito: Levar qualidade, diversão e economia aos jovens viajantes!

    Quando eu fiquei sabendo que eles existiam, não tive mais dúvidas de onde eu iria me hospedar durante esse tempo na Europa.  Mas como funciona ? O St Christopher’s Inn tem um padrão de qualidade do qual os hostels filiados a ele devem seguir, e isso garante que independente da cidade que você se hospedar, as tarifas serão parecidas, os serviços oferecidos também, e principalmente, a estrutura do lugar.

    Posso falar com propriedade já que me hospedei com eles em duas diferentes cidades, Edimburgo na Escócia e Bruges na Bélgica. Edimburgo é um destino mais popular e movimentado que Bruges, mas nem por isso a qualidade do hostel era inferior, ou melhor do que o hostel de Bruges, que é uma cidade super antiga e pequena.

    Os hostels são destinados mesmo aos “backpackers“, ou como conhecemos, os “mochileiros” que estão de passagem pela cidade, buscam preços baixos, qualidade e um bar legal para aproveitar a noite e amigos. Todos os hostels possuem um bar dentro, o que traz uma atmosfera incrível, e nem da vontade de ir beber uma cerveja em outro lugar.

    Indico você conferir o website dos caras e ver todos os destinos em que eles possuem um hostel afiliado. E mais, se tu baixar o app St Christopher’s Inn, podes conseguir descontos melhores que no site, e ainda, café da manhã incluso. Não é maravilhoso?

    Neste post aqui, eu conto sobre a minha experiência no St Christopher’s Inn em Edimbugo, na Escócia.

    E neste post aqui, conto sobre minha experiência em um hostel do St Christopher’s Inn em Bruges, na Bélgica.

    Espero que tenham gostado dessa dica, e aproveitem muito sua viagem em um lugar bacana !
    Não esqueça de baixar o app dos caras, ou então conferir o site para ver os preços e estrutura de cada hostel em cada país da Europa que eles estão presentes.

    Até a próxima!

    Lá vem ela, a louca do brechó. Eu! Hoje venho contar para vocês como são os brechós aqui na Holanda.

    Brechó aqui se chama Kringloop ou Rataplan. As vezes se jogar no google “Thrift Store” ou “Second Hand Store”, também acha.

    Quando eu cheguei eu lembro que eu estava muito empolgada, achando que os brechós seriam iguais os dos Estados Unidos, mas não são, infelizmente. Também posso dizer que fiquei bem decepcionada porque os daqui são muito inferiores. Alguns são bem grandes e alguns são bem pequenos. Alguns são bem caros e alguns são bem baratos. Mas em todos eles, se fuçar bem, tem como fazer uns achados. Em Amsterdam todos os brechós são caros. É bonito de se ver, todas as peças são maravilhosas, eu quase choro quando eu entro lá, porém é tudo bem caro.

    EPISODE

    A Episode é um exemplo desses brechós maravilhosos que são caros. Os tênis e botas são entre 25 – 40 euros, e em um brechó normal seria menos de 10 euros, com certeza.

    RATAPLAN

    O brechó Rataplan, na cidade de Delft, é enorme e com preço baixo. Blusinha por 2 euros, casaquinho por 5.

    Então basicamente ou você vai direto onde sabe que vai ter coisas lindas, e paga mais caro, ou faz que nem eu e fica tentando a sorte todas as vezes que vai nos brechós mais baratos. É difícil, mas não impossível! Eu já achei e comprei várias coisas e tenho dois vídeos no meu canal mostrando as minhas compras:

    Tem um brechó ao ar livre que acontece em um final de semana por mês em Amsterdam, que se chama IJ-HALLEN (e você pode ver o calendário dele aqui). Esse vale a pena ir porque sempre acha alguma coisa muito boa, e com preço amigo. Coisas como mochila da vans por 1 euro ou casacos de neve por 10.

     

    E é isso, para quem é garimpeiro, esses são os melhores lugares!

    Um beijo e tchau!