O que você faria?

Você já sonha com seu destino, já planejou cada passeio e não pensa em outra coisa além de viajar. Afinal, qual a melhor hora para viajar? Nascemos, crescemos, vivemos pensando: vou terminar o fundamental, vou terminar o ensino médio; começar a trabalhar e entrar na faculdade, me formar; ser isso, aquilo, etc. Alguns pensam em casar, ter filhos e viajar nas férias com a família; isso é resumo de uma vida. Mas, e se pudermos alterar a ordem? E se você puder completar 18 anos e não fazer faculdade, não se formar, “deixar para outra hora”? O que você faria?

São tantas as opções, seria tão bom poder fugir sempre do normal. Ter uma rotina é ótimo, apesar de quase nunca admitirmos que amamos ter um dia-a-dia corrido, de trabalho e responsabilidades. E por que não fugimos? Por que não dizemos: “não tia, não quero fazer faculdade de direito, quero viajar para Nova Zelândia e fazer trabalho voluntário”. Medo dos olhares de reprovação ou porque nós mesmos não aceitamos que a vida é mais que isso? É mais do que as pessoas esperam que você faça! É o que você quer fazer. Não só seus sonhos, são seus planejamentos, suas conquistas, suas maiores vontades que ah, não podem se resumir a pensamentos né?!

992399_406823832755834_1114749134_n

Temos oportunidades que podem ou não voltar. Não importa aonde chegaremos, nem como chegaremos, se tudo que adquirirmos nessa jornada for desejado por nós mesmos. Ninguém se arrepende do que fez se te faz bem, se arrepende do que deixa de fazer por medo, por perder tempo, deixa de aproveitar. Não precisa largar a faculdade e sair correndo para os Alpes Suíços, mas, se permita fazer algo que goste que não está no roteiro! Passear, viajar, estudar algo diferente, fazer uma aula de cerâmica ou cantar em uma mostra de talentos.

Vamos aproveitar enquanto temos tempo, fôlego e (talvez) poucas responsabilidades. Ainda dá tempo de se aventurar!

Comments

comments