Saudade pra quem fica

Eu já perdi as contas de quantas vezes eu falei “me leva na mala, por favor“.

Quando a gente pensa em intercâmbio, normalmente vem na cabeça várias saudades que teremos, qual será a comida que mais fará falta, quais lugares temos que ir antes de embarcar, quais pessoas precisamos encontrar. Mas hoje, eu vou falar de uma saudade diferente, vou falar da saudade pra quem fica. Eu ainda não fiz o meu intercâmbio, mas muitas pessoas importantes na minha vida estão, ou já passaram por ele.

Uma das minhas amigas de infância foi morar pra sempre na Califórnia, uma amiga que eu via todos os dias na faculdade também embarcou no sonho californiano. Uma das bff em 2015 chegou pra mim e falou: “vou ficar um ano fora”. Pessoas que faziam parte da minha rotina foram fazer parte desse mundão. E esse mês, mais uma amiga-irmã vai ganhar meu abraço de até logo. Quando eu e a Michelle nos tornamos amigas ela já estava no intercâmbio, então foi mais fácil, mas eu já estou me perguntando como farei com esse 1 mês que ela vai pra Irlanda.

É, essa linha da dor da saudade e estar feliz pela pessoa é bem delicada.

A gente sempre quer o melhor de quem a gente ama, mas é normal em alguns momentos você desejar a pessoa aqui. Não é egoísta você pensar que alguns momentos seriam melhor se a pessoa estivesse junto. Mas torcer pela pessoa, e pela felicidade da pessoa, é muito importante. Quando a pessoa escolhe ir pra fora, acredito que é uma das decisões mais importantes a ser tomada, pois ela sai da zona de conforto e vai para um lugar totalmente novo sem ter alguém.

E é aí, que você, que ficou aqui, precisa estar presente. É sempre importante lembrar que distância física não distancia momentos. Sou muito grata em dizer que em nenhum dos meus casos, eu perdi a pessoa por causa da distância. Você acaba achando formas de estar presente sem estar fisicamente.

É normal ter saudade, ela dói, corrói, mas não destrói. Felizes aqueles que têm amigos seja lá onde eles estiverem.

Comments

comments