• Vídeo Novo

  • É, não é só de Amsterdam que a Holanda é feita! Hoje venho mostrar as minhas cidades preferidas aqui, fora Amsterdam. Porque não adianta, Amsterdam sempre vai ser a minha preferida, mas, existem outras cidades incríveis e super legais para turistar também.

    LEIDEN

    Leiden é a “cidade grande” mais perto da minha. Não é a cidade onde a minha casa fica, mas quando eu chego em Leiden eu já me sinto em casa. É uma cidade universitária, então sempre está rolando alguma coisa. Vários bares e coisas legais para fazer. Além de ser muito charmosa.

    UTRECH

    Sempre que eu digo para os meus hosts que eu vou sair eles já perguntam “Vai pra Utretch, né?” Eles falam isso porque nos meus primeiros meses de intercâmbio eu fui várias vezes para lá. E aí ficou na cabeça deles como sendo a minha cidade preferida. Eu amo essa cidade, acho a vibe dela diferente das outras e lá também tem um Castelo lindo!

    DEN HAAG

    Den Haag é uma cidade que eu, mesmo sem querer, acabo indo muito. Ah, não tem nada para fazer, vamos para Den Haag? É uma cidade grande com uma rua de compras enorme, uma Primark gigante e que tem uma praia maior ainda. Tem um píer e uma roda gigante, zip line e bungy jump. Inclusive eu estava lá ontem.

    Essas são as minhas cidades preferidas, mas fora essas ainda temos Rotterdam, que eu não tive a oportunidade de ir muitas vezes, mas que eu adorei. Também sei que a nightlife lá bomba muito, vários pubs alternativos e restaurantes legais. E Haarlem, que eu peguei carinho porque várias amigas moram lá e por isso acabei indo várias vezes. É uma cidade muito fofa também, eu amo o centrinho de lá!

    A Holanda é um país maravilhoso, e mesmo que as cidades sejam de certa forma muito parecidas, a mesma arquitetura e os canais atravessando todas elas, cada uma tem uma vibe diferente, umas são mais movimentadas e com vários jovens e estudantes, outras mais tradicionais, com famílias fazendo piqueniques e vovózinhas andando por aí. Mas no fim, todas são lindas e me apaixonei de um jeito diferente por cada uma delas. Se você vier para a Holanda, não fique só em Amsterdam! Pegue o trem até essas cidades, são perto e são muito legais.

    Um beijo e Tchau!

    Estou escrevendo o meu post de hoje sentada na sala da minha casa na Holanda. Estou de pijama e sem sutiã. Por que eu achei que seria interessante falar isso? Porque não é sempre que a gente se sente assim confortável, principalmente na casa dos outros. Geralmente a gente usa 5% da casa dos hosts, os outros 95% do tempo a gente fica no nosso quarto. Que é o lugar onde é seguro tirar o sutiã e ficar de boa etc etc. Meus hosts estão viajando e eu achei que valia a pena escrever sobre como eu estou feliz com isso.

    1- O Silêncio
    Mesmo nos finais de semana, eu sempre acordo cedo (mas durmo de novo) porque tem muito barulho na casa. Se engana quem pensa que a host family vai ficar sussurrando para a au pair não acordar. Então eu estou aproveitando o silêncio. Nenhum grito e nenhum choro e nenhuma briga e nada. Só o ronronar do Hugo, o gato.

    2- A Geladeira
    Abrir a geladeira, com calma, sem pressa, sem pessoas me observando, pensando “o que será que ela vai comer?”, e comer mesmo, sem vergonha. Fazer bagunça na cozinha, depois eu limpo.

    3- A Banheira
    Essa para mim é de lei. Eu sempre tomo banho de banheira quando os Hosts não estão. Imagina que mico os hosts chegando em casa e você pelada na banheira, escutando música, bebendo uma cerveja. Por isso precisa ser em uma ocasião onde com certeza eles não vão chegar. E hoje eu tinha certeza que ninguém ia chegar.

    4- House Party
    Venham amigos e amigos dos amigos, pode chegar. Tem cama, sofá, tapete e ofereço até um cafézinho. Eu abri a minha casa para receber várias visitas, coisas que com a HF aqui, nunca aconteceria. Eu gosto de brincar de ser anfitriã!

    5- A Preguiça
    Quando os Hosts estão em casa, a gente não pode se dar ao luxo de ser preguiçosa. Tem que ajudar, se fazer útil. E agora eu estou aqui, de pijama o dia todo sendo o mais preguiçosa que eu puder.

    Ou seja, quando eles estão em casa a gente vira uns robôzinhos. Acorda cedo, ajuda, limpa, faz social, fica no quarto, come pouco… Pos isso que eu estou aproveitando mesmo essa liberdade. Trouxe um colchão para a sala, coloquei ele de frente para a tv, que está com a tela ligada no Netflix, e é isso, até eles voltarem, vai ser isso. E eu estou bem feliz.

    Um beijo e tchau! ❤️

    Aqui na Holanda o meu principal meio de transporte é a bicicleta. Nos Estados Unidos era o carro, e no Brasil também. Eu sempre gostei muito de dirigir escutando música e literalmente berrando junto. Eu adorava quando as pessoas dos carros do lado ficavam me olhando com cara de “que que essa menina tá fazendo?“. Aqui na Holanda é diferente, porque como eu escuto as musicas com o fone de ouvido, fica muito ruim se eu berrar junto com a música, porque as pessoas só vão ouvir a minha voz de gralha, e no melhor dos casos a música vai ser em português e ninguém vai entender nada, mas mesmo assim vão me chamar de louca.

    Eu contenho a minha vontade de cantar, mas não a de dançar. Eu danço com os braços, junto com a batida. E nesse caso, todos que passam por mim podem me julgar a vontade, tô nem aí. E foi com esse pensamento que eu resolvi trazer hoje as músicas que eu mais gosto de escutar na bike. Claro que tudo depende do meu humor. A música muda de acordo com a hora e o dia. Sexta a noite antes de sair de casa com as amigas, é uma. Agora no caminho até o mercado numa segunda de manhã, outra. Mas eu não consegui especificar nenhum humor, vamos então por dias:

    Segunda-feira de Manhã:

    Indo ao mercado:

    Sexta a noite a caminho de Amsterdam:

    Domingo, voltando para casa:

    Ok, as vezes a ordem muda e eu escuto a música do caminho do mercado na sexta a noite. Mas, o que importa é que essas são algumas músicas que combinam muito com o meu momento na bike.

    Eaí, curtiu alguma das músicas acima? Me conta nos comentários!

    Um beijo e tchau! 🚴

    Tive a ideia de trazer o assunto “viagem” mais à tona no canal, e não só fazer vlogs e falar sobre os lugares que eu irei visitar este ano, mas também sobre os lugares que eu já visitei.

    Talvez você não saiba, mas durante o meu intercâmbio como Au Pair, eu conheci cerca de 15 países dos Estados Unidos e ainda viajei para Amsterdam e Paris. Antes de me aventurar no intercâmbio, eu nunca tinha viajado fora do país e posso contar nos dedos (de uma mão só) as vezes que eu peguei um avião e viajei antes disso.

    Por isso que, quero aproveitar ao máximo as pautas sobre os lugares que eu conheci, e trazer pra vocês todo o tipo de informação e curiosidade sobre cada um deles. As vezes um vlog e roteiro aqui no blog não é suficiente, então vamos ao: Guia de Viagem por Amsterdã, na Holanda =)

    A Cidade:

    Amsterdam é a capital da Holanda, um país pequeno da Europa e muito conhecido pelos moinhos, pela cerveja Heineken e pelos campos incríveis de tulipa. Segundo a lenda, Amsterdam foi fundada por pescadores que deixavam seus barcos na beira do rio Amstel, e daí que veio o nome: Amstel-Dam (que siginifica dique em inglês). A cidade conta com pouco mais de 800 mil habitantes e é uma das cidades que mais recebe turistas todos os anos. O idioma falado por lá é o Holandês, mas você pode se virar MUITO bem com o inglês, já que a maioria das crianças tem inglês desde pequenas, e é muito comum ver placas pela cidade, lojas, restaurantes, tudo em inglês.

    Voo de Avião:

    Quando eu visitei a cidade, eu estava no Colorado-EUA e meu host dad me deu a passagem de presente. Ele pagou cerca de 1.000 dólares pela passagem de ida e volta, e é basicamente o preço que encontramos aqui no Brasil (com o dólar hoje a R$3,35). Pelo que eu pesquisei, a média de preço de passagens saindo de Guarulhos, por exemplo, para Amsterdam fica em torno de R$3.000,00 a R$3.500,00. Mas claro que, se você comprar com antedecência, e ficar de olho nas promoções, poderá encontrar passagens a R$2.000,00 e R$2.500,00.

    Uma dica: Quando você chegar no aeroporto, precisará encontrar sua bagagem e deverá percorrer um enorme e reto corredor, até encontrar uma parte do aeroporto com o teto alto, e vários “caixas eletrônicos” de cor amarela. Esses guichês são para você comprar o ticket do trem, que te levará do aeroporto de Amsterdam até a estação central, que fica no coração do centro de Amsterdam e muito provavelmente onde você ficará hospedado. Esse percursso de trem do aeroporto até a estação central é de mais ou menos 30 minutos. O preço do ticket é de EU$4.50, e tem wifi free dentro dele, ótimo para atualizar as redes sociais e avisar a sua família que chegou bem!

    Moeda:

    A moeda na Holanda é o Euro, e eu costumo utilizar o cartão Travel Money para levar dinheiro nas minhas viagens. Você pode fazer ele através do seu banco, ou por uma loja de câmbio. Ah, e vale dizer que ônibus, tram e trem aceitam somente moedas, então vá preparado!

    Internet:

    A Holanda disponibiliza vários pontos de free wifi, principalmente pelo centro de Amsterdam. Eu fiquei pouco tempo por lá, mas consegui tranquilamente usar wifi de cafés, pontos turísticos e parques da cidade. A menos que você passe vários dias na Europa, conhecendo vários países, eu não indico comprar um chip de internet para se virar em Amsterdam.

    Hospedagem:

    Quando eu fui pra Amsterdam, fiquei no Hotel 83 bem na Red Light Disctrict, que fica no centro da cidade e é um lugar bem atípico. Mas claro que, tem várias outras localizações que você pode ficar por lá, e fazer tudo praticamente a pé, ou de bike. Outras localizações legais para ficar em Amsterdam além dessa são:

    Como vocês podem ver no mapa acima, muuuitos dos pontos turísticos ficam super perto dessas localizações! Eu paguei 80 euros na diária, e poderia ter pagado beeem mais barato se eu tivesse pesquisado melhor, ou de repente ter ficado em outra localização que não fosse a Red Light. Mas como eu só tinha 24 horas na cidade, não queria perder tempo de deslocamento e optei por ficar bem no meio do centro!

    Transporte:

    BIKE BIKE BIKE!!! Amsterdam it’s all about bicycle :)
    Diferente do Brasil, e muitos outros países, na Holanda o ciclista é prioridade. Tem ciclovia em praticamente todos os lugares, e se não tem, a calçada é delas: das bikes! Eu não sei nem contar nos dedos as vezes que eu me distrai tirando fotos e quase fui atropelada por um ciclista hahahah Então sim, fica ligado porque lá todo mundo usa bicicleta, o tempo todo, e você também pode alugar a sua durante sua trip por lá. Indico a loja Black Bike Rental, que está em vários pontos de Amsterdam, e você pode alugar uma bicicleta por uns 8 euros a diária. Retirar ela em um ponto e devolver em outro, tudo conforme o seu roteiro.

    Mas se você não simpatiza com bicicleta, eu indico conhecer o centro a pé! É tudo pertinho, e você vai levar no máximo 20 minutos de caminhada de um ponto a outro. E se o cansaço bater ao final do dia e você queira voltar ao seu Hotel de uma forma mais rápida, vá de tram! Um ônibus elétrico ligado à um trilho que passa por toda a cidade. Custa mais ou menos EU$3,50 e você precisa pagar usando moedas, viu?

    Gastronomia:

    O que seria da Holanda sem o Stroopwaffle? ou entao, as batatas fritas no cone? Torta de maçã? Nossa! Só de lembrar me da água na boca. Você precisa experimentar essas comidinhas de rua, muito tradicionais da Holanda. Além disso, há vários pratos típicos (maioria deles com carne, o que fica difícil para nós vegetarianos), e crepes, também bastante conhecidos na França. De forma geral, a Holanda tem vários pratos parecidos com os nossos, eles comem bastante carne e pão! Sanduíches all the time.

    Torta de Maçã do café Winkel 43, a melhor torta de maçã de Amsterdam! Essa fatia + café foi 5 euros. Indico!

    Passeios:

    Amsterdam é repleta de atrações turísticas para todos os gostos e estilos! Desde museus repletos de obras de arte, galerias, parques, coffee shops, à baladas e muitos eventos noturnos. Uma coisa que muita gente não fala, mas eu acho que vale super a pena de ser feito, é se perder pelas ruazinhas da cidade. Tira uma tarde do seu roteiro para sair andando, conhecendo Amsterdam de pertinho, observando a população local, descobrindo novas esquinas e pequenas lojinhas que você nunca descobriria que existe, a menos que fizesse esse tipo de passeio.

    Além disso, recomendo fortemente você visitar alguns museus como o museu da Anne Frank, Van Gogh, Rijksmuseum e Museu da Maconha. O parque Voldenpark é incrível, enorme e perfeito para dar um rolê de bike! Além disso, tem a Dam Square, uma praça no centro da cidade com vários prédios históricos ao redor, incluindo o museu de cera de Amsterdam. Cenário perfeito para suas fotos.

    Pra quem curte cerveja, indico visitar o Heineken Experience. Um tour pela cervejaria da Heineken, mostrando todas as etapas da fabricação da cerveja, e um museu com fotos, rótulos, objetos e tudo que diz respeito à marca! Ao fim do tour você é levado ao rooftop do lugar e pode curtir um happy hour, ver o sol se pôr e tomar uma cervejinha. E claro, não esqueça de dar uma passadinha na Red Light District, uma rua bastante diferente de Amsterdam, com muitos coffee shops, casas de show e prostituição.

    Preços:

    E quanto aos preços? Amsterdam é uma cidade cara? Nem tanto assim. Não encontrei ela na lista de 20 cidades mais caras da Europa, então lugares como Londres, Dublin e Paris serão certamente mais caras. Abaixo vou listar o que eu gastei em 24 horas na cidade:

    Hotel 83: EU$ 80 euros
    Trem Aeroporto pro centro: EU$5 euros
    Tram pela cidade: EU$3 euros
    Souvenirs: EU$ 40 euros
    Comida: EU$20 euros

    Gostou? Espero que sim! Abaixo fiz um vídeo “guia de viagem” contando várias outras informações. Espero que gostem!

    Até a próxima!

    Sabe o carnaval no Brasil né? Não sei se podemos comparar, mas, acho que o que chega mais perto disso aqui na Holanda é o Kings Day.

    É um feriado para comemorar o aniversário do rei ou da rainha! Eu soube que é uma das maiores festa da Europa! Todo mundo vai para a rua vestindo laranja, as cores da Holanda, e a cor que eu mais odeio. Mas a minha camiseta laranja está comprada já.

    É uma vibe meio St. Patricks day, só que mais animada. Todo mundo vai para a rua, e mesmo tendo várias festas em lugares e bares, as pessoas falam que na rua é mais divertido. Até a família real Holandesa vai passando pelas principais cidades da Holanda, se divertindo e comemorando. Para quem não sabe, eu moro na mesma cidade que eles.

    Em Amsterdam rola um mercado de pulgas e todas as pessoas podem vender suas coisas lá. Ao redor do mundo, todas as pessoas com alguma ligação com a Holanda também comemoram! Desde 1949, os holandeses comemoram o feriado no dia 30 de abril, aniversário da antiga Rainha Juliana. Antes de 1949 o King’s Day era comemorado em Agosto. A partir de 2014 a data mudou para 27 de abril, dia do aniversário do novo Rei, Willem Alexander. A festa se chamava Queen’s Day quando era a Rainha. A data da festa vai mudando de acordo com quem está no poder.

    Eu espero que o próximo rei ou rainha faça aniversário no verão porque festejar no frio vai ser meio ruim, mas ok haha

    Semana que vem eu volto para contar como foi!
    Beijos!