• Vídeo Novo

  • Há, hoje vim falar mais um pouco sobre o amor, as formas dele e a possibilidade de você fazer parte de uma situação super amorosa. Tô falando da possibilidade de uma família homoafetiva escolher você como Au Pair =)

    o-GAY-FAMILY-facebook

    Imagem meramente ilustrativa.

    Sim, é permitido famílias homoafetivas no programa e agora mesmo com a novidade de que casais do mesmo sexo podem casar em todos os Estados dos EUA, essa situação se tornará mais comum do que a gente imagina.

    Na minha singela opinião, eu acho que deve ser muuuuito irado ter Host Dads ou Host Moms como Host Parents, mas aí fui direto à fonte e perguntei pro paulistano Matheus de 21 anos, que é au pair aqui em Connecticut e tem dois host dads, “como é viver com uma Host Family homoafetiva?”

    CC: Quando pensou em ser au pair, passou pela cabeça a possibilidade de ter uma família homoafetiva?
    É até engraçado falar disso… Apesar de ter passado, sim, pela minha cabeça, eu não achava que ia ter uma família gay. Eu sempre visualizava uma host family com um host dad e uma host mom. Pra mim, não era tão comum assim um casal gay ter filhos — porque no Brasil não é! — e, ainda por cima, terem um Au Pair. Então, eu achava que era uma possibilidade bem remota. Acabou que foi a minha primeira e única família no perfil. Dois dias depois de eu ficar online, eles apareceram e eu pensei: isso aqui tá bom demais pra ser verdade! Hahaha.

    CC:Qual foi a reação da sua família no Brasil quando soube que você moraria com eles ?
    Cada pessoa da família teve uma reação diferente. Felizmente, nenhuma preconceituosa ou negativa. Alguns acharam bacana e ficaram maravilhados com essa questão de 2 homens terem uma família há quase dez anos. Mais uma vez, porque você não vê isso pelo Brasil. Minha mãe e minha irmã, as pessoas mais próximas de mim, ficaram super animadas, na verdade. Minha vó, mais conservadora, achou estranho, mas logo se acostumou com a ideia.

    CC:Há alguma diferença nas regras do programa, de trabalho ou em qualquer coisa que envolva família vs au pair ?
    Não existe diferença alguma. É exatamente como qualquer outra família heterossexual. Como eu disse no meu post no Blog das 30 Au Pairs, eu, particularmente, acho que tenho uma experiência melhor por fazer parte de uma família assim. Eles são mais tranquilos, não me cobram em nada, me dão liberdade pra fazer o que acho melhor e educar os meninos. Eu vejo muitas famílias americanas que, mesmo vivendo em lugares mais progressistas como o nordeste americano, ainda são bem conservadoras e mais rígidas. Isso não acontece aqui, at all!

    CC:Como é a sua relação com a família ?
    Minha relação é muito boa com eles. Nunca tive nenhum tipo de desentendimento. Muito pelo contrário! Meu host diz que eu sou uma das pessoas mais fáceis de se conviver. Hahaha! Eu procuro ser parte da família, mas sem deixar de respeitar o espaço deles. Acho que isso precisa ser bastante balanceado. Um ponto super positivo neles é que eles fazem com que eu me sinta parte da família (me incluem em todos os eventos, me convidam pra tudo o que fazem etc.) e, ao mesmo tempo, me dão total liberdade de fazer o que eu quiser. Às vezes saímos e eu vou num carro diferente, por exemplo, porque depois vou encontrar os amigos e tal.  Não vou dizer que sou BFF dos meus hosts, mas temos uma relação saudável e sinto que eles confiam em mim. E eu também confio muito neles.

    CC: Você que mora com eles, sente o preconceito das outras pessoas em relação a orientação sexual dos dois ?
    Eu nunca senti preconceito algum! Essa é uma das coisas que eu valorizo muito aqui nos EUA. As pessoas não são intolerantes (pelo menos eu não presenciei ou sofri preconceito até o momento). Quando passamos pela Carolina do Norte, as garçonetes e garçons sempre perguntavam pra eles se precisavam de contas separadas. Eu não identifiquei aquilo como preconceito (so naive! Haha), mas eles me disseram que fazem isso porque não veem 2 caras e 2 meninos (e um Au Pair) como uma família, já que no Sul o povo é mais conservador. Já comentaram, também, de alguns parentes cristãos que não aceitavam muito bem a ideia. Mas foi isso!

    CC:Conte um pouco sobre a família e kids, aposto que todo mundo aqui tá curioso!
    Um dos meus hosts, 38 anos, é diretor de uma empresa em NYC. O outro, 33 anos, é médico ginecologista e obstetra e trabalha por aqui mesmo. Eles estão juntos há uns dez anos e têm os meninos há 8. Ambos são bem tranquilos e ótimos pais. Sempre buscam participar bastante da vida dos meninos, passar um bom tempo com eles. Eles são do tipo que chegam mais tarde no trabalho pra ver uma apresentação da escola (minha mãe não era assim, não! hahahahah). Como a família inteira mora em New Mexico (eles vieram de lá), é só eles mesmo. Às vezes vem um parente ou outro, mas é bem raro. Eu cuido de 2 kids: um de 9 e outro de 10 anos. O mais velho tem TDAH, então acontece de termos momentos mais tensos com ele. Mas nada que não dê pra lidar. Eles gostam bastante de videogame, futebol e adoram uma piscina. Haja energia pra acompanhar! rs. No começo, eu tinha um pouco de dificuldade em fazer com que eles entendessem que eu tava in charge (eu sou o primeiro Au Pair) e isso complicava um pouco. Agora já tá tudo bem mais tranquilo, eles me ouvem bastante e temos uma relação boa. Só de pensar que uma hora vou ter que ir embora, já fico de coração partido! :(

    CC: Na sua opinião, famílias homoafetivas são melhores de se trabalhar do que uma família hetero ? Principalmente porque você é Male Au pair ?
    Famílias homoafetivas sabem o quão ruim é sofrer preconceito. Acho que isso colabora pra que eles não tenham preconceito com um male au pair, que é algo que acontece bastante. Eu nunca tive a oportunidade de trabalhar como Au Pair em uma família hétero, então acho que não posso fazer uma comparação justa. Eu vejo como algo diferente. Assim como seria diferente ter duas host moms ao invés de dois host dads. Essa é a diferença maior, na verdade. Eu sinto falta dessa “vibe feminina” por aqui. Afinal, eu sempre morei com a minha mãe e irmãs e agora moro numa casa só com homens! Hahaha. Ainda bem que tem as amigas Au Pairs pra compensar.

    É isso aí! Espero que eu tenha tirado as dúvidas de todo mundo, mas se ainda restarem perguntas ou se alguém quiser conversar sobre o programa, entre lá no meu blog (maleaupair-usa.blogspot.com), confira meus posts e me mande um e-mail! =)
    Um super obrigado à Michele pelo convite e parabéns pelo blog de sucesso.
    Grande abraço! Até a próxima.

    Querido!! Amei a entrevista e amei mais ainda saber um pouco mais sobre tua história como Male Au Pair com uma família de dois host dads! Quão legal é isso gente, sério ?? AMEI!

    Se tiverem dúvidas, vão lá no blog dele como ele mesmo disse e perguntem! Principalmente os meninos que acompanham o blog e tem dúvidas sobre o male au pair.

    Espero que tenham gostado. Um SUUUUUUUUPER beijo!