• Vídeo Novo

  • É, não é só de Amsterdam que a Holanda é feita! Hoje venho mostrar as minhas cidades preferidas aqui, fora Amsterdam. Porque não adianta, Amsterdam sempre vai ser a minha preferida, mas, existem outras cidades incríveis e super legais para turistar também.

    LEIDEN

    Leiden é a “cidade grande” mais perto da minha. Não é a cidade onde a minha casa fica, mas quando eu chego em Leiden eu já me sinto em casa. É uma cidade universitária, então sempre está rolando alguma coisa. Vários bares e coisas legais para fazer. Além de ser muito charmosa.

    UTRECH

    Sempre que eu digo para os meus hosts que eu vou sair eles já perguntam “Vai pra Utretch, né?” Eles falam isso porque nos meus primeiros meses de intercâmbio eu fui várias vezes para lá. E aí ficou na cabeça deles como sendo a minha cidade preferida. Eu amo essa cidade, acho a vibe dela diferente das outras e lá também tem um Castelo lindo!

    DEN HAAG

    Den Haag é uma cidade que eu, mesmo sem querer, acabo indo muito. Ah, não tem nada para fazer, vamos para Den Haag? É uma cidade grande com uma rua de compras enorme, uma Primark gigante e que tem uma praia maior ainda. Tem um píer e uma roda gigante, zip line e bungy jump. Inclusive eu estava lá ontem.

    Essas são as minhas cidades preferidas, mas fora essas ainda temos Rotterdam, que eu não tive a oportunidade de ir muitas vezes, mas que eu adorei. Também sei que a nightlife lá bomba muito, vários pubs alternativos e restaurantes legais. E Haarlem, que eu peguei carinho porque várias amigas moram lá e por isso acabei indo várias vezes. É uma cidade muito fofa também, eu amo o centrinho de lá!

    A Holanda é um país maravilhoso, e mesmo que as cidades sejam de certa forma muito parecidas, a mesma arquitetura e os canais atravessando todas elas, cada uma tem uma vibe diferente, umas são mais movimentadas e com vários jovens e estudantes, outras mais tradicionais, com famílias fazendo piqueniques e vovózinhas andando por aí. Mas no fim, todas são lindas e me apaixonei de um jeito diferente por cada uma delas. Se você vier para a Holanda, não fique só em Amsterdam! Pegue o trem até essas cidades, são perto e são muito legais.

    Um beijo e Tchau!

    Hoje é dia de falar de um dos assuntos que eu mais gosto: lugares abandonados.

    Eu sempre pesquiso e leio sobre esses lugares e eu sei que um dia eu ainda irei conhece-los todos! Enquanto esse dia não chega, a gente escreve sobre. Meu maior orgulho é poder riscar a cidade de Chernobyl dessa lista. Aparece em todas as listas de melhores lugares abandonados e era um dos principais lugares na minha lista pessoal. Nesse post aqui eu conto como foi a minha experiência lá.

    Então como Chernobyl era o primeiro lugar, vamos para o segundo.

    2- Chateau Miranda (Bélgica)

    Seria meu sonho? Tão perto e tão longe ao mesmo tempo. Esse castelo foi construído pelos aristocratas franceses que fugiam da revolução. Durante e após a Segunda Guerra Mundial, o local foi usado como um orfanato e abandonado em 1980. Também foi usado nas gravações da série Hannibal. E muitos exploradores ainda acreditam ser um lugar assombrado. QUERO.

    3 – Cidade Submersa (Shicheng, China)
    [PAUSE] um dia vai ter um vídeo no Jen Jeans de mim explorando esse lugar com roupas de mergulho [UNPAUSE]

    Essa cidade foi inundada há mais de 50 anos atrás pelo rio Shicheng e durante muito tempo ficou esquecida. Hoje em dia algumas pessoas mergulham lá por diversão, existem alguns vídeos no youtube sobre isso. Deve ser incrível a sensação de estar em um lugar totalmente esquecido e em baixo da água.

    4 – Sólheimasandur Beach ou Avião abandonado (Islândia)

    Em 1973 esse avião da marinha ficou sem combustível e caiu nessa cidadezinha da Islândia. Várias pessoas ainda param lá para tirar fotos e podemos conseguir guias de como chegar lá na internet, então deve ser bem acessível.

    5 – Six Flags Jazzland (New Orleans, USA)

    Lugares abandonados são legais, agora parque de diversões abandonados são legais DEMAIS!
    O Six Flags de New Orleans foi devastado pelo furacão Katrina em 2005 e permanece esquecido desde então. Boatos dizem que vão reconstruir o parque… Tomara que não… Espera eu ir primeiro!

    Estes são os 5 primeiros da minha lista interminável de lugares abandonados para ver antes de morrer. Quem aí também gosta dessas coisas e sabe de algum lugar legal, me manda, preciso aumentar a lista. E qual o preferido de vocês?

    Um beijo e tchau!

    Eu nunca tive vontade de ir para lá. Nunca pesquisei, nem li, nem vi. Estava muito mais preocupada olhando sobre outros lugares, que eu nunca me lembrei de Praga. Talvez por isso eu me surpreendi tanto.

    Tínhamos pouco dinheiro então escolhemos Praga já que é um lugar perto da Holanda e relativamente barato. A moeda deles não é o euro, então nós tivemos essa vantagem, porém não foi tão barato assim.

    Saímos da Holanda na terça-feira (11/07) às 21:30, numa viagem de ônibus que durou 13 horas. Foi muito cansativo porque eu não consigo dormir em nenhum meio de transporte, mas eu sabia que a viagem ia fazer valer a pena. E fez! Chegamos em Praga e fomos direto para o estúdio que alugamos, era muito bonito e o melhor, tínhamos privacidade. Como as coisas são mais baratas na República Tcheca, nós fizemos vários rolês de táxi. Existe um app de táxi chamado AAA que você pede pelo celular, mas paga em dinheiro. Dividido cada uma pagava mais ou menos 2€ cada vez que andávamos de táxi, o que daria na mesma que andar de transporte público. Então resolvemos ser patroas e só andar de táxi uma vez na vida! Haha.

    A cidade de Praga é dividida por Distritos, desde Praga-1 até Praga-8. Nosso estúdio era em Praga-8, o mais afastado, então foi por isso que usamos mais o táxi. Mas se você pegar um hotel em outros distritos, é mais fácil fazer as coisas andando. Antes de ir claro que pesquisamos e vimos que Praga é uma das cidades mais bonitas da Europa. E é mesmo! Achei tudo muito parecido com a Ucrânia também, mas Praga ainda é mais bonita.

    Em cada canto, cada rua, um lugar bonito para se fotografar. Vários bares, cafés e restaurantes e todos com cerveja barata. Pagamos em média de 1.70 czk um copo de 500 ml de cerveja, o que aqui na Holanda não seria menos de 4 euros. Ou seja, amantes de cerveja vão amar Praga! Cervejas famosas como a Budweiser nasceram lá!

    Fizemos todas as atrações turísticas e as consideradas um pouco loucas. Que obviamente, são as que eu mais gosto. Fiz todo roteiro basicamente com lugares “off the map”. Alguns deles não conseguimos ir porque realmente eram longe e precisávamos ter alugado carro para poder visitar. Mas mesmo assim, nos divertimos muito! Visitamos um laboratório de um alquimista de verdade, um bar selecionado, que tu só entra se gostarem da sua cara, e tava tocando ópera lá dentro! Eu amei demais.

    Por outro lado, percebi que as pessoas lá são um pouco estúpidas, a impressão foi que elas não tem paciência para turistas. E também não falavam muito inglês. No mesmo bar selecionado que eu comentei ali em cima, tomamos uma cerveja com o Jonas de Sense8. Quem já viu sense8 sabe, e eu juro, era IGUAL. E no final ele disse que o nome dele é Jordan e que ele veio da Jordânia, e isso soou muito falso, então eu prefiro acreditar que era mesmo o Jonas tentando mascarar o fato. Eu nunca vou saber.

    As pessoas em Praga são muito estilosas, eu me inspirei muito andando pelas ruas de lá, e várias pessoas são super góticas! Vimos vários!

    Foi uma viagem incrível, amei todas as partes menos as partes dentro do ônibus, e com certeza gostaria de poder voltar e passar mais tempo por lá. Se alguém tiver alguma dúvida ou quiser mais dicas sobre o lugar, me mandem e-mail que eu ficarei feliz em ajudar. Meu e-mail: contatojenjeans@gmail.com

    Um beijo, e tchau!

    Rick and Morty é um seriado animado de ficção científica criado por Justin Roiland and Dan Harmon, que conta a história de Rick, um senhorzinho muito louco e meio mal humorado porém meu preferido ever. Ricke retorna para a casa de sua filha depois de ficar 20 anos desaparecido. A filha, claro, recebe o pai de braços abertos, mas seu marido Jerry, não gosta da ideia. Principalmente quando Rick resolve montar um laboratório na garagem e começa a levar os netos junto com ele em suas viagens para outras dimensões e outros planetas.

    Eu comecei a assistir Rick and Morty porque alguém falou no stories que era legal. Aí eu comecei e não parei mais até acabar. Assistia todos os dias. Mas eu acho que esse desenho não é para qualquer um. Tem que entrar na vibe do Rick, porque se não, você vai acabar não gostando dele e achando que ele maltrata os netos dele. Mas no fundo no fundo ele é um querido! Já saíram duas temporadas, a primeira com 11 episódios e a segunda com 10.

    Eu acho que eles foram simplesmente geniais ao criar essa série. Cheio de palavrões, viagens, monstros, problemas familiares, sangue e muuuuitas referências, que várias delas eu entendi só porque eu já morei nos Estados Unidos.

    Rick and Morty já pode ser considerada uma das melhores animações adultas de todos os tempos. É muito engraçado, de um nível: “eu gargalhando sozinha no meu quarto enquanto assistia”. E as falas do Rick são as melhores! São meio grotescas, mas eu amo mesmo assim. Às vezes pode parecer um besteirol, mas ao mesmo tempo é profundo e você se conecta com os personagens. As ideias dos episódios são maravilhosas e o primeiro episódio da segunda temporada é o meu preferido pra sempre. To tentando muito não dar spoiler.

    Assistam e me digam o que vocês acharam.

    Mas até lá, só tenho uma coisa a sizer: WUBBA LUBBA DUB DUB!
    Um beijo e Tchau!

    Quem me conhece sabe muito bem que eu tenho um vício louco por lugares abandonados e esquecidos (e comentei sobre isso nesse post aqui). Aqueles lugares que a muito tempo não são habitados e que a natureza começou a tomar conta. Eu vejo arte no que fica depois da destruição.

    Chernobyl é uma cidade na Ucrânia, que há 30 anos atrás sofreu o maior acidente nuclear da história. Um acidente que mesmo hoje, tanto tempo depois, ainda deixam consequências para o lugar e para o país. Uma cidade completamente abandonada, deixada para trás. No dia 27 de abril de 1986, todas as pessoas que moravam na cidade tiveram que ser evacuadas com urgência, sem olhar para trás, sem poder fazer as malas. Sem saber se encontrariam de novo seus familiares. Sem saber que estavam respirando o inimigo a cada segundo.

    Eu comprei um tour de 1 dia até lá. Fomos de ônibus e a viagem demorou uma hora e meia. Quando estávamos chegando perto, uma das primeiras coisas que eu vi foi uma placa que indicava radioatividade, me deu um frio na barriga, eu realmente estava indo visitar um lugar onde aconteceu um desastre nuclear. A polícia checa nossos passaportes antes de oficialmente entrar em Chernobyl.

    Dentro do ônibus o documentário mostra a cidade como era antes do acidente, as pessoas sorrindo e as crianças brincando. A cidade funcionando, viva. Através das janelas as árvores começam a tomar lugar por entre as construções que o tempo e a radiação corroeu. Ganhamos um aparelho que apitava sempre que os níveis de radiação ficavam altos, e eu fiquei checando o meu toda a hora. Na cidade de Kiev o normal era 0.10 e dentro de Chernobyl em alguns pontos tivemos 5.0, o que é bastante até. Mas não o suficiente para ser prejudicial a nossa saúde.

    O primeiro ponto  que paramos foi a creche. Ainda com as camas e alguns objetos como bonecas, sapatos e livros. Tudo cheio de poeira e se deteriorando. Lindo. Depois paramos em frente ao Reator 4, que foi o que eu explodiu. Agora com o novo sarcófago já instalado. Não era permitido ficar muito tempo em cada ponto, era o tempo de tirar algumas fotos e pronto. Passamos também por onde era o mercado da cidade, ainda com prateleiras e carrinhos de compras. E mesmo que tudo em Ucraniano, eu consegui entender que nas placas provavelmente dizia o que continha cada corredor.

    O centro de esporte com a piscina vazia é fascinante, ainda mais porque no vídeo que vimos no ônibus, tinham imagens dessa mesma piscina sendo usada, cheia de água e pessoas nadando.  Paramos para fotos em uma igreja que foi reconstruída, letreiro de Chernobyl e em algumas casas abandonadas. Pudemos entrar nelas e ver que nada sobrou a não ser o pó. O parque de diversões que nunca nem foi inaugurado deixa um sentimento de tristeza no ar. Porque parques são feitos para as pessoas se divertirem, mas aquele parque nunca viu ninguém feliz.

    A escola também foi incrível, embora eu saiba que os cenários são montados pelas pessoas do tour e por pessoas que já visitaram, ainda assim meu queixo caiu. Todos os livros e mesinhas, coisas escritas à mão por alguém. Será que esse alguém esta vivo? Será que esta bem? Fiquei me perguntando essas coisas o tempo todo. Várias máscaras de gás pelo chão. Muita gente não sabe mas essas máscaras não foram usadas por causa do acidente, elas foram usadas na guerra e eles tinham elas na escola para ensinar os alunos como usar, em caso de guerra.

    Nós andamos muito nesse dia. Meus pés estão doendo até agora. Almoçamos em Chernobyl mas com comida que foi trazida de fora. Salada, sopa, batata assada e carne. Barriga cheia e mãos lavadas, fomos para o “pica pau russo” que é uma torre gigante que era usada como radar que detectava mísseis com antecipação.

    “Não encostem em nada, tudo está contaminado foi a frase que eu mais ouvi naquele dia. Eu estou me sentindo contaminada ainda hoje, de tantas coisas que eu encostei sem querer. Fui picada por insetos, arranhada por plantas, pisei em lama radioativa, caiu pingo de água da construção antiga na minha testa e uma barata fez um tour na minha perna. Mas no fim do dia tivemos que fazer um teste para saber se estávamos contaminados e todo mundo passou.

    Foi uma das experiências mais loucas da minha vida e eu ainda quero voltar para fazer o tour de 3 dias, que é bem melhor, com certeza.

    Quem vai querer ir também? ☢️

    Confira mais fotos no meu IG @jeniferbtt 
    Beijos!