Viagem Mineira – Inhotim

Semana passada eu contei pra vocês, como foi conhecer Ouro Preto. Se vocês não leram ainda, clique aqui.

E essa semana quero contar outra experiência única. Uma experiência um tanto quanto contemporânea. E nada mais é que o dia que eu fui ao maior museu de arte contemporânea de céu aberto da América Latina: Inhotim!

Antes de começar, vou contar uma curiosidade: Se você já foi para Minas, ou é de lá, sabe que as palavras terminadas com ‘nho’, acabam terminando com ‘im’. E na viagem, chegamos a conclusão, que Inhotim na verdade deveria chamar Inhotinho mas com o sotaque mineiro, ficou Inhotim! haha <3 amo/sou sotaque mineiro, é uma delícia de escutar.

Agora falando um pouco de lá, o Instituto Inhotim foi idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz na década de 1980. O local se transformou com o tempo, tornando-se um lugar singular. Realmente, ele é único, com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo e uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes. Lá existe um complexo museológico com uma série de pavilhões e galerias com obras de arte e esculturas expostas ao ar livre.  Inhotim é a única instituição brasileira que exibe continuamente um acervo de excelência internacional de arte contemporânea. Novos projetos são inaugurados periodicamente, incluindo obras criadas site-specific para o local, recortes monográficos e temáticos do acervo, fazendo do Inhotim um lugar em contínua transformação.

O lugar realmente é mágico, mas preparem o tênis. Porque é gigante, em 1 dia inteiro não é possível conhecer todas as obras. Isso porque lá, você pode comprar o ticket de um carrinho, que te ajuda chegar nos pavilhões e obras. Vale muuuito a pena comprar esse ticket, sério. O legal de lá, é que além de obras e paisagens bonitas, bancos bonitos, porque todos os bancos do museu são obras de arte, SIM, feitas pelo arquiteto Hugo França e da até dó de sentar. Além de tudo isso, você entra em contato com as obras. Em diversas obras do museu é possível entrar, tocar, ouvir. Um dos galpões que entramos tinham diversas salas, uma você tinha que entrar descalço e pisar na água, outra tinha redes com uma musica super alta, outra vários colchões, em outra tinha bexigas para você dançar entre elas, é fantástico! E também tem uma piscina, isso mesmo, no meio do museu e óbvio que o meu grupo de amigos entrou, e até ginástica laboral fingimos fazer lá, foi um sarro, todos estavam olhando! Tem vídeo, mas todos me matariam se eu publicasse! HAHAH

Acho que melhor do que contar, é mostrar algumas fotos do lugar, inspire-se e conheçam.

Sobre a alimentação lá, se você quer gastar pouco, sugiro levar uns lanchinhos na bolsa e só comprar o necessário, porque o preço é bem salgadinho. Vale também, levar água de casa!

Sobre os ingressos: a inteira é R$40,00, mas tem meia para estudante. Aí além disso, você tem que a opção de pagar o ticket do carrinho separado, mas infelizmente não encontrei esse valor no site. Outra coisa legal é levar uns troquinhos pra trazer uns souvenirs.

É isso, espero que tenham gostado, Inhotim é lindo! <3

Até semana que vem.

Comments

comments

3 Comments

  1. Bianca Félix
    2 fev 2017 / 15:49

    Ameeei, deu vontade de conhecer! :)

    • http://www.cabidecolorido.com.br/wp-content/themes/cabide-colorido/img/cabide-gravatar-tres.jpg
      Michelle
      2 fev 2017 / 16:09

      Parece mesmo incrível, né? eu também fiquei bem afim de conhecer! <3

  2. Raphaella
    7 fev 2017 / 15:14

    Ótimo post! Quarta-feira era de graça, mas não sei se ainda é <3